Pelo Mundo

Trump é um perigo para o povo americano. Mas os republicanos se recusam a pará-lo

O presidente é vilipendiado e ridículo - e ele continuará a jorrar disparates perigosos e ofensivos enquanto seu partido o apoiar

29/04/2020 13:50

Créditos da foto: "Eu não sou médico. Mas sou, tipo, uma pessoa tem um boa você-sabe-o-quê..." Donald Trump em um briefing sobre coronavírus na semana passada. (Alex Brandon/AP)

Não bebam água sanitária. Não liguem para a Dettol. Quando as pessoas precisam saber que essa não é uma boa ideia - mesmo que seu presidente tenha divulgado a notícia -, definitivamente não estamos mais no Kansas. Ou talvez estejamos. Em um protesto em que as pessoas igualam o distanciamento físico ao comunismo.

Para ser justa, Donald Trump acrescentou a advertência útil: "Eu não sou médico. Mas eu sou uma pessoa que tem um boa você-sabe-o-quê ", enquanto aponta para sua cabeça.

Sim, tanto faz. Ele deveria ganhar o "prêmio Nobre", como ele chama, por seu "você-sabe-oquê". Mais tarde, ele alegou que os comentários sobre o desinfetante foram sarcásticos e interrompeu seus briefings com a imprensa. Aventou-se que ele pode ter atingido "um ponto crítico" com seus conselheiros. Mas certamente já sabemos que, com Trump, não há um ponto de inflexão. Depois de chamar os mexicanos de estupradores e se gabar de "agarrar xoxotas", seu desfile de bile e ignorância parece ilimitado.

Não sei quantos perfis psicológicos li sobre ele, nos quais ele é diagnosticado como um narcisista maligno, ou sugere-se que ele tenha um comprometimento cognitivo ou sofra de um pensamento ilusório ou de uma incapacidade sociopática de sentir empatia básica. Blá-blá-blá. Nada disso importa. Ele prometeu o fim da "carnificina americana", mas é exatamente disso que ele está encarregado.

Analisar sua psique não é um ato de oposição. Trump não poderia operar sem todos aqueles ao seu redor, especialmente o apoio do partido republicano.

O Dr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, considera que os briefings, que ele tem que fazer com Trump, "drenam" [energia]. Não é de se admirar, pois ele fala apaixonadamente sobre distanciamento físico, enquanto Trump o contradiz. A Dra. Deborah Birx, coordenadora da resposta ao coronavírus de Trump, recentemente ficou lá parecendo alarmada, enquanto Trump executava seu solo improvisado sobre o desinfetante. O vice-presidente Mike Pence olha zumbificado. Só agora a mídia americana começou a discutir com ele.

Ele continua difamado, um motivo de chacota, um mafioso patético, mas com o apoio do establishment de direita. Focar sua última loucura é o entretenimento. O problema é como o partido republicano o mantém no poder, pois são eles que possibilitam sua permanência. O ponto de inflexão será alcançado quando eles decidirem derrubá-lo.

*Publicado originamlente em 'The Guardian' | Tradução de César Locatelli

Conteúdo Relacionado