Pelo Mundo

Vírus revolucionário mexe com Emmanuel

 

18/03/2020 20:37

O presidente Emmanuel Macron em pronunciamento na TV sobre restrições de circulação (Eric Gaillard/Reuters)

Créditos da foto: O presidente Emmanuel Macron em pronunciamento na TV sobre restrições de circulação (Eric Gaillard/Reuters)

 
Será que o vírus mexeu com a cabeça de Emmanuel?

Combato as idéias políticas de Emmanuel Macron, sou socialista, com forte tempero comunista (picante) de igualdade e fraternidade.

Mas reconheço que Macron tem cultura, é civilizado e republicano. É um democrata que defende interesses do capitalismo francês e mundial. Apesar de tudo, não chegaria, como alguns o fazem, ao ponto de afirmar que vivemos numa democracia autoritária.

Estamos comprovando que há males que vêm para o bem.

Temos visto Emmanuel ceder à virulência do Covid-19.

O vírus o fez suspender a privatização dos Aeroportos de Paris, empresa pública rentável que a esquerda não queria ver privatizada. Fomos milhares a assinar petição contra a privação.

Pressionado pelo coronavírus, Macron anunciou, nesta segunda-feira, a suspensão das reformas, principalmente a da Previdência (Réforme des Retraites), que levou o povo às ruas de todas as grandes cidades francesas em mega-manifestações.

Emmanuel se mostrou surdo aos milhões de pessoas que fizeram diversas manifs gigantes, mas recuou diante do vírus. Não me iludo pois ele fez passar a lei da previdência por decreto, pelo 49-3, mas, ontem, em sua fala à nação, (a segunda em quatro dias) suspendeu tudo.

"O vírus é revolucionário", comentou o maior jornalista francês, Edwy Plenel, fundador de Mediapart.

Concordo plenamente.

E penso que o Covid-19 vem atuando positivamente na cabeça de Emmanuel.

Ele chegou a dizer no seu discurso da semana passada algo que ouvimos com prazer e estupefação:

«O QUE REVELA ESTA PANDEMIA É QUE A SAÚDE GRATUITA SEM CONDIÇÕES DE RENDA, DE HISTÓRIA PESSOAL OU PROFISSÃO, E NOSSO ESTADO DE BEM-ESTAR SOCIAL (ÉTAT-PROVIDENCE) NÃO SÃO CUSTOS OU ENCARGOS MAS BENS PRECIOSOS, VANTAGENS INDISPENSÁVEIS DIANTE DAS VICISSITUDES DO DESTINO.

EXISTEM BENS E SERVIÇOS QUE DEVEM FICAR FORA DAS LEIS DO MERCADO».

Emmanuel foi contaminado pelo vírus revolucionário?

Macron vem respeitando as recomendações do Comitê Científico, formado por grandes médicos (do serviço público) e pesquisadores dos maiores institutos franceses (públicos), que fornecem as informações científicas para que ele tome decisões neste momento especial.

O fechamento de todo o comércio, o fechamento de fábricas como a Michelin, o confinamento e a paralisação geral vão custar muito ao Estado. Bilhões de euros.

Sobretudo pontos no PIB.

Mas Emmanuel anunciou diversas medidas de proteção aos trabalhadores e às empresas.

"Coûte que coûte." (Custe o que custar).

Não corro o risco de me tornar macronista e votar em Emmanuel no futuro.

Aqui do meu confinamento total, torço apenas que a gestão da pandemia esteja indo no bom sentido e vibro com essas declarações que nos dão razão, pois afinal sempre pensei que há serviços e bens que devem ficar fora das leis do mercado.



Conteúdo Relacionado