Poder e Contrapoder

China comemora primeira imagem de sua bandeira em Marte

A Agência Espacial Nacional da China também confirmou novas missões à Lua e até à órbita de Júpiter, em mais um exemplo de que a disputa de hegemonia com os Estados Unidos ganha contornos de corrida espacial

15/06/2021 10:42

(CNSA/Reuters)

Créditos da foto: (CNSA/Reuters)

 
A China comemorou neste sábado (12/6) a bem sucedida aterrissagem do veículo espacial Zhurong no solo de Marte, o que marcou o início das atividades da missão Tianwen-1, a primeira enviada pelos cientistas chineses ao planeta vermelho.

Assim, a China se tornou o segundo país do mundo a levar uma missão espacial a este planeta, o segundo mais próximo da Terra. Também é o terceiro do mundo a realizar uma missão espacial em outro planeta – a União Soviética foi o primeiro país a pousar uma sonda em outro planeta, a Venera 4, que realizou missão em Vênus, em 1967.

A CNSA (sigla em inglês da Agência Espacial Nacional da China) divulgou as primeiras fotos em alta resolução e também alguns vídeos enviados de Marte.

Em uma dessas imagens, o Zhurong e a plataforma de pouso da missão aparecem com a bandeira chinesa no meio do terreno rochoso e avermelhado do planeta. Outra imagem mostra uma visão panorâmica do local onde a nave aterrissou, mostrando uma paisagem relativamente plana, com algumas rochas e dunas próximas ao local onde o veículo espacial iniciará sua missão.

Junto com as imagens, a CNSA enviou uma mensagem na qual disse considerar que o pouso do Zhurong foi “um sucesso total”, e que “a primeira missão de exploração marciana da China está em pleno andamento”.

As fotos também mostram os painéis solares que fornecem a energia com a qual o veículo espacial chinês funciona.

A missão espacial Tianwen-1 foi lançada em julho de 2020, e seu pouso teria acontecido no dia 15 de maio, mas somente nesta semana as imagens da sua chegada a Marte foram disponibilizadas pela CNSA.

O Zhurong foi batizado em homenagem ao deus do fogo na antiga mitologia chinesa. Tianwen, nome dado à missão, significa “perguntas ao céu”. O veículo terá até o final deste mês de junho para realizar seus trabalhos em solo marciano, que consistem em estudar a estrutura geológica, o ambiente, a atmosfera e a água do planeta.

A imagem da bandeira da China presente em marte, marca o sucesso da primeira missão interplanetária financiada pelo governo comunista.

Tal façanha por significar que a disputa por hegemonia entre chineses e norte-americanos pode ganhar contornos de corrida espacial, como aconteceu entre os Anos 50 e 80, durante a Guerra Fria entre os mesmos Estados Unidos e a União Soviética, o gigante comunista da época.

Além de Marte, a China já realizou missões remotas à Lua, e também prepara sua primeira missão tripulada ao satélite terrestre – a CNSA afirma que o país pretende realizar esta façanha ainda nesta década, para que, até 2036, exista uma base lunar chinesa em funcionamento.

Entre as outras missões planejadas pela agência chinesa estão o envio de sondas à órbita de Júpiter, o maior planeta do sistema solar, além de missões remotas a Vênus, e a asteroides próximos da Terra.

*Com informações de Xinhua






Conteúdo Relacionado