Política

'Ataque ultrajante' a Greenwald mostra Moro 'assustador'

Freedom of the Press Foundation denuncia 'grosseiro abuso de poder'; comissões de OEA e ONU criticam 'intimidações'

03/07/2019 09:57

(Reprodução)

Créditos da foto: (Reprodução)

 
Freedom of the Press Foundation denuncia 'grosseiro abuso de poder'; comissões de OEA e ONU criticam 'intimidações'

No Le Monde, ‘Moro, herói caído da anticorrupção’; no Independent, ‘campanha anticorrupção é exposta como corrupta ela própria’; no HuffPost, ‘superstar anticorrupção encara seu próprio escândalo’.

Sergio Moro segue acumulando cobertura negativa no exterior. 

O francês Le Monde descreveu “o agora ministro do presidente de extrema direita” como “herói caído da anticorrupção” em título, depois das mensagens reveladas pelo jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept.

O britânico The Independent, citando a ascensão de Jair Bolsonaro como “legado” da Lava Jato, publicou: 

“E foi Moro, uma figura partidária de direita com ilusões messiânicas, disposta a acabar com o Estado de Direito em busca de seus objetivos, que desempenhou o papel principal de colocá-lo lá”.

O site americano HuffPost, destacando que Moro agora “encara seu próprio escândalo”, fechou extensa reportagem com a avaliação de que “poderia ser um roteiro de Hollywood sobre os perigos do excesso de ambição e de vaidade”.

Ao longo da terça-feira, com o ministro evitando confirmar ou negar que a Polícia Federal - que ele controla - está investigando Greenwald, as reações em mídia social foram de choque. 

Por exemplo, do correspondente do britânico The Guardian na América Latina: “Assustador”.

No fim do dia, a organização Freedom of the Press Foundation soltou nota, dizendo que o cerco do ministro “não é apenas um ataque ultrajante à liberdade de imprensa, mas um grosseiro abuso de poder”.

E, em nota conjunta, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos e o Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos se pronunciaram contra as “ameaças, desqualificações e intimidações” ao jornalista.

*Publicado originalmente na Folha de S. Paulo



Conteúdo Relacionado