Política

Bolsonaro do Brasil é ridicularizado depois de tuitar um vídeo explícito de carnaval

O presidente brasileiro tuitou um vídeo pornográfico que segundo ele foi filmado durante o carnaval em uma aparente tentativa de se contrapor a críticas

11/03/2019 09:21

Jair Bolsonaro em Brasília no mês passado. Bolsonaro disse que a cultura brasileira foi

Créditos da foto: Jair Bolsonaro em Brasília no mês passado. Bolsonaro disse que a cultura brasileira foi "destruída por décadas de governos com um viés socialista". (Andressa Anholete/Getty Images)

 

O presidente de extrema direita do Brasil, Jair Bolsonaro, provocou indignação, nojo e escárnio depois de tuitar um vídeo pornográfico em uma aparente tentativa de se contrapor a críticas a seu governo durante o carnaval deste ano.

Foliões por todo o país usaram a festa de rua anual como uma oportunidade para protestar contra seu líder extremista que é notório por seus comentários homofóbicos e racistas, e cuja eleição com certa facilidade no ano passado horrorizou os brasileiros progressistas.

Na cidade nordestina de Olinda, foi reportado que foliões deram uma chuva de latas de cerveja, blocos de gelo e palavrões em um boneco gigante de carnaval de Bolsonaro.

No Rio de Janeiro, membros de um grupo de carnaval se reuniram do lado de fora da casa localizada de frente para o mar de Bolsonaro para denunciar as alegadas ligações de sua família com gangues mafiosas.

Festeiros dissidentes por todo o país fizeram upload de gravações de multidões gigantes gritando obscenidades a Bolsonaro sob a hashtag #EiBolsonaroVaiTomarNoCu.

Os gritos foram ouvidos até no coração do carnaval brasileiro, no sambódromo do Rio.

Bolsonaro, que desfruta de comparações com Donald Trump, parece ter recebido as críticas de forma ruim.

A cultura brasileira foi “destruída por décadas de governos com viés socialista”, tuitou ele na terça-feira de manhã.

Mais tarde, na noite do mesmo dia, Bolsonaro foi ainda mais longe, tuitando um vídeo sexualmente explícito — segundo ele filmado durante um evento de carnaval em São Paulo — que mostra um homem tocando-se antes de outro urinar sobre ele.

“Não me sinto confortável em mostrar isso, mas temos que expor a verdade para que a população esteja ciente e sempre estabeleça suas prioridades. Isso é o que se tornou muitos grupos de carnaval de rua no Brasil”, tuitou Bolsonaro para seus 3,4 milhões de seguidores.

Raiva, perplexidade e dezenas de manchetes anteriormente inconcebíveis apareceram em alguns dos maiores veículos de notícias do Brasil.

“Bolsonaro compartilha vídeo de homem mexendo no ânus e sugere que cena é comum no Carnaval”, escreveu a Folha de São Paulo em letras garrafais.

“Um tuíte pornográfico envergonha o governo”, disse uma manchete de O Globo.

O site de direita O Antagonista também não se impressionou e usou uma manchete de duas palavras para denunciar o presidente do Brasil como “o pornográfico”.

Críticos de Bolsonaro atacaram-no verbalmente.

“Ele é um fascista, mas ele também é um fracasso do tipo que nunca tínhamos visto na história de nosso país”, tuitou a antropóloga brasileira Rosana Pinheiro-Machado.

“Onde está o decoro e o respeito?”, perguntou-se Mônica Francisco, uma parlamentar de esquerda do Rio de Janeiro.

“Um presidente deveria, pelo menos, mostrar algum respeito pela maior festa do país. Uma festa que é um símbolo de nossa diversidade e nossa cultura”, adicionou Francisco. “Tudo que ele está mostrando com isso … é que ele não sabe lidar democraticamente com protestos espontâneos contra ele [durante o carnaval].”

Com a tempestade na internet ocorrendo, muitos do exército de apoiadores online de Bolsonaro expressaram seu apoio pela sua posição, usando a hashtag #BolsonaroTemRazão.

“O presidente mentiu? O carnaval é realmente assim, um hospício a céu aberto”, tuitou um usuário.

Antônio Carlos Costa, um líder da igreja e ativista de direitos humanos, tuitou: “O presidente da república deve desculpas à nação.”

Não havia sinal de desculpas na quarta-feira de manhã.

Em vez disso, Bolsonaro postou uma segunda mensagem bizarra na qual perguntava: “O que é golden shower?”

O filho político de Bolsonaro, Eduardo, veio depois retuitando o vídeo ofensivo de seu pai com a mensagem: “A esquerda é doente.”

“O que Jair Bolsonaro faz você sentir?”, perguntou o escritor Lula Falcão a seus seguidores no Twitter. “Medo, vergonha ou pena?”

*Publicado originalmente em theguardian.com | Tradução: equipe Carta Maior

Conteúdo Relacionado