Política

Campanha em SP deve dialogar com abastados, diz Mercadante

05/10/2004 00:00

São Paulo - O senador Aloizio Mercadante afirmou segunda-feira (4) que o desafio do PT em São Paulo, na campanha para o segundo turno da eleição, será dialogar com as classes mais abastadas da capital paulista. A afirmação foi feita durante entrevista da Executiva Nacional do PT à imprensa, na sede do partido, em São Paulo.

Os resultados do primeiro turno na capital mostraram que Marta ganhou nos bairros de periferia, como Parelheiros e Capão Redondo, enquanto o tucano José Serra venceu em bairros mais ricos, como Pinheiros e Perdizes. Bairros tradicionais de classe média, como Vila Prudente e Vila Maria, também optaram pelo tucano, mas em menor proporção. “Isso reflete claramente a opção da gestão petista em priorizar os mais carentes”, afirma o senador. “O partido nasceu para fazer justiça social e o governo da Marta priorizou a oportunidade”.

Para Mercadante, é preciso mostrar aos mais ricos que uma cidade com menos desigualdade traz paz e harmonia a todos os cidadãos. “A violência não vai acabar se as desigualdades não diminuírem. Todos os cidadãos gostariam de ver a cidade menos desigual”. Ele afirma, no entanto, que Marta não governou apenas para os carentes. “Foram feitas obras e construídos túneis, que privilegiam quem tem carro; a cidade foi embelezada, ficou mais limpa. Houve uma melhora generalizada para todos os cidadãos.”

O presidente do partido, José Genoino, não escondeu a frustração pela derrota de Marta. “Esperava um resultado melhor. É claro que era um pouco de torcida, mas as últimas pesquisas vinham indicando isso”, afirmou. Apesar disso, o presidente do PT afirmou que a votação de Marta Suplicy foi expressiva e que o segundo turno na capital demandará muito trabalho.

“São Paulo foi, é e sempre será nossa prioridade, principalmente pelo que representa o governo da Marta para a cidade”, disse Genoino. Ele afirmou que o PT precisa de mais quatro anos para completar obras, projetos sociais e urbanos, “que são de grande importância para o município.”

Genoino afirmou que o PT em São Paulo, assim como nas outras cidades, buscará os votos dos eleitores de todos os candidatos derrotados para disputar o segundo turno. Mas pressionado por jornalistas que perguntavam se ele se encontraria com o candidato derrotado Paulo Maluf, Genoino limitou-se a repetir: “Queremos os votos do Maluf, queremos os votos do Maluf. Vocês perguntam como querem, eu também posso responder como quero, isso é democracia”. 

Veja especial:
> Eleições 2004


Fale com a redação através do endereço redacao@cartamaior.com.br. Os comentários, críticas e sugestões dos leitores estão no Canal dos Leitores.


Conteúdo Relacionado