Política

Carta do Fórum 21 para Manuela D´Ávila e Miguel Rossetto

 

23/11/2020 16:53

 

 
22 de novembro de 2020

Prezad@s Manuela D´Ávila e Miguel Rossetto,

O Fórum 21 é um coletivo nacional de intelectuais orgânicos, professores, pesquisadores e lideranças políticas que defendem um projeto democrático, popular e soberano de nação, comprometidos com os movimentos e as lutas emancipatórias da cidadania brasileira.

O Brasil, como sabemos, está enfrentando uma confluência de crises profundas – econômica, social, ambiental e política, agravadas pela pandemia – o que impõe enormes adversidades à vida do nosso povo.

As eleições municipais ocorrem nesse contexto.

Muitas propostas apresentadas por candidatos e candidatas às Prefeituras estão defendendo políticas autoritárias e neoliberais que capturaram – a partir do golpe parlamentar-midiático-judicial de 2016 e da eleição presidencial de 2018 – o Governo Federal e a maioria dos governos estaduais.

A candidatura Sebastião Melo, em Porto Alegre, agravada pela presença de seu vice Ricardo Gomes, integrante do MBL e do Mamãe Falei, e pelo alinhamento explícito ao bolsonarismo, representa a continuidade dessas políticas, voltadas para os interesses das minorias abastadas da sociedade.

São políticas que não beneficiam as grandes maiorias sociais e estão destinadas ao fracasso, como já ocorreu em praticamente todo o mundo. Elas só agravam as condições de vida em nossas cidades: desemprego, perda de renda, precarização do trabalho, vulnerabilidades sociais, violência, insegurança, pobreza e extrema pobreza.

Os nossos municípios estão precisando de investimentos e políticas públicas, emergenciais e estruturais, para enfrentar os efeitos das crises, sobretudo a econômica e social e as graves consequências da pandemia. E isso não será possível com a manutenção, também em nível local, do teto de gastos, da interdição e reversão do Estado do bem estar e da ruptura em curso do pacto federativo consagrado pela Constituição Cidadã.

Governar Porto Alegre nesse contexto requer liderança, ousadia política, convicções consistentes, experiência e compromisso com as necessidades e reivindicações da cidadania.

Requer um governo aberto à participação popular, acolhedor das demandas dos movimentos sociais, garantidor de direitos e defensor firme da democracia.

Requer um governo que seja capaz de mobilizar os atores e ativos políticos, sociais, econômicos, culturais, técnicos e científicos para a redução da desigualdade social, o combate às discriminações e a eliminação da extrema pobreza em Porto Alegre.

Requer uma prefeita capaz de exercer uma forte liderança local e também nacional. Uma prefeita com ativa presença no movimento municipalista e nas diferentes iniciativas das forças democráticas, populares e em defesa da soberania do nosso país e da região.

É por essas razões que o Fórum 21 reconhece nas candidaturas, Manuela e Miguel, e em seu programa de governo, a plena identidade com os valores e objetivos que destacamos nesta Carta pública.

E reconhece em suas trajetórias pessoais complementares, já testadas por experiências, desafios e lutas coletivas históricas, a garantia e a credibilidade dos seus compromissos.

O Fórum 21 manifesta assim publicamente o seu apoio à candidatura Manuela e Miguel para a Prefeitura de Porto Alegre.

E conclama a todos, em especial a cidadania democrática, progressista e antifascista, a votar no próximo dia 29 no número 65.

Manuela e Miguel vão unificar nossa Cidade em torno do que cada um e cada uma de nós tem de melhor e mais generoso: a solidariedade social e a dimensão republicana da vida comum em defesa dos valores da democracia e da participação cidadã.

Conselho Político Facilitador do FÓRUM 21 - Ideias para o avanço social.

Joaquim Palhares (Secretário Político) - Aluisio Schumacher; Arlete Moyses; Benedito Tadeu César; Carlos Eduardo Fernandez da Silveira (Caico); Carlos Tibúrcio; José Luiz Del Roio; Liszt Vieira; Magda Barros Biavaschi; Maria Rita Loureiro; Roberto Leher; Sebastião Velasco; Vicente Trevas; Walquíria Leão Rêgo (mais de 180 intelectuais orgânicos, acadêmicos e lideranças políticas e sociais em todo o Brasil e alguns no exterior).



Conteúdo Relacionado