Política

E agora, Brasil sil sil sil sil ? Ou será Brazil?

 

10/01/2021 12:37

(Shannon Stapleton/Reuters)

Créditos da foto: (Shannon Stapleton/Reuters)

 
Foram suficientes seis dias de 2021 para assistirmos o inacreditável: a invasão do Capitólio, num ataque à suposta meca da democracia mundial, feita por homens e mulheres brancos. A sorte dos americanos do Norte é que suas Forças Armadas se respeitam, respeitam a Constituição e não aceitam fazer papel de "bombril" como acontece em algumas republiquetas por ai.

Lá, como aqui, a manipulação é grande; a invasão ganhou a cena, mas como disse Mônica de Bolle, o relevante é a eleição de um senador negro na Geórgia, vitória do movimento negro, consolidando a vitória dos democratas num estado marcadamente republicano.

Quanto à invasão, nada a comemorar, porque todos perdemos muito. No entanto, questiono se os EUA ainda se acharão no direito de invadir países pobres e subdesenvolvidos para " implantar" a democracia. A lista é grande e não vou queimar o nosso tempo expondo-a aqui. Basta o Brasil. Confirmada a participação no golpe em 1964, quando se propunha as reformas de base, basta mencionar uma: a agrária, nunca feita.

Seria abusivo imaginar onde estaríamos, hoje, se as reformas houvessem progredido naquele tempo, 70 anos atrás? Não nasci ontem e me dou esse direito. E o golpe de 2016, melhor que a invasão do Iraque porque não houve tiros. Melhor para quem? O país destroçado está ai para quem quiser ver, pois há os que não querem.

Junto com a invasão do Capitólio, terá caído a crença idiota na criminalização da política e na entronização dos "nomes novos" para fazer o que não sabem, mas fazem, seja o que for, em benefício próprio e de mais alguns? Será que aprendemos que apresentadores de TV devem ficar nos seus lugares para oferecerem circo, já que pão também não temos mais? Será que o Trump será preso, único meio de, de fato, condenarem o ato irresponsável de ontem ou haverá algum Moro no tio Sam, com poder de evitar essa ação urgente?

O fato é que precisamos baixar a aprovação desse monstro eleito por 57 milhões de brasileiros a 10%, no máximo, se quisermos que nossos netos conheçam o que é liberdade. Mas, vou procurar uma foto do Hulk com Trump, pois já seria uma boa anticampanha. Se alguém tiver, eu também quero e já agradeço. Feliz 2021!

Liana Carleial é professora titular de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), professora convidada do Programa de Pós-graduação em Direito (PPGD/UFPR) e pesquisadora do Núcleo de Direito Cooperativo e Cidadania (NDCC) da mesma universidade; é também pesquisadora associada ao GIREPS, da Universidade de Montréal. Liana Carleial ainda sonha em ser cidadã brasileira

Conteúdo Relacionado