Política

Em defesa do programa vitorioso nas urnas

A sociedade civil não pode ser surpreendida depois das eleições e tem o direito de participar ativamente na definição dos rumos do governo que elegeu.

24/11/2014 00:00

Arquivo

Créditos da foto: Arquivo


(*) Esse manifesto é fruto da extraordinária união havida no final do 2º turno, quando mais de 15.000 pessoas assinaram um documento de apoio à candidatura de Dilma Rouseff, lotando o Teatro Tuca, em São Paulo.

Assine aqui o Manifesto em Defesa do Programa Vitorioso nas Urnas.
 
 A campanha presidencial confrontou dois projetos para o país no segundo turno. À direita, alinhou-se o conjunto de forças favorável à inserção subordinada do país na rede global das grandes corporações, à expansão dos latifúndios sobre a pequena propriedade, florestas e áreas indígenas e à resolução de nosso problema fiscal não com crescimento econômico e impostos sobre os ricos, mas com o mergulho na recessão para facilitar o corte de salários, gastos sociais e direitos adquiridos.

A proposta vitoriosa unificou partidos e movimentos sociais favoráveis à participação popular nas decisões políticas, à soberania nacional e ao desenvolvimento econômico com redistribuição de renda e inclusão social.

A presidenta Dilma Rousseff ganhou mais uma chance nas urnas não porque cortejou as forças do rentismo e do atraso e sim porque movimentos sociais, sindicatos e milhares de militantes voluntários foram capazes de mostrar, corretamente, a ameaça de regressão com a vitória da oposição de direita.

A oposição não deu tréguas depois das eleições, buscando realizar um terceiro turno em que seu programa saísse vitorioso. Nosso papel histórico continua sendo o de derrotar esse programa, mas não queremos apenas eleger nossos representantes políticos por medo da alternativa.

No terceiro turno que está em jogo, a presidenta eleita parece levar mais em conta as forças cujo representante derrotou do que dialogar com as forças que a elegeram.

 Os rumores de indicação de Joaquim Levy e Kátia Abreu para o Ministério sinalizam uma regressão da agenda vitoriosa nas urnas. Ambos são conhecidos pela solução conservadora e excludente do problema fiscal e pela defesa sistemática dos latifundiários contra o meio ambiente e os direitos de trabalhadores e comunidades indígenas.

As propostas de governo foram anunciadas claramente na campanha presidencial e apontaram para a ampliação dos direitos dos trabalhadores e não para a regressão social. A sociedade civil não pode ser surpreendida depois das eleições e tem o direito de participar ativamente na definição dos rumos do governo que elegeu.


Confira a lista com as primeiras adesões:
LUIZ GONZAGA BELLUZZO – FACAMP/UNICAMP
ROSA AGUIAR - Jornalista, companheira de Celso Furtado
JOÃO PEDRO STÉDILE – MST
LAURA TAVARES SOARES – UFRJ
LEONARDO BOFF -  Teólogo
JOAQUIM ERNESTO PALHARES – Jornalista
LAURINDO LEAL “LALO” FILHO – USP
PEDRO PAULO ZAHLUTH BASTOS - UNICAMP
EMIR SADER - Sociólogo
CÂNDIDO GRZYBOWSKI - Diretor do Ibase
ANDRE SINGER – USP
JOSÉ ARBEX JR - PUC/SP
IVANA JINKINGS – Diretora Editorial
IGOR FELIPPE – Jornalista
PAULO SALVADOR – Jornalista
RODRIGO VIANNA - Jornalista
ALTAMIRO BORGES - Militante Político
ROSA MARIA MARQUES (PUC-SP)
VALTER POMAR - Militante do PT
MST – Movimento Dos Trabalhadores Sem Terra
FORA DO EIXO
MÍDIA NINJA
REDE ECUMENICA DA JUVENTUDE (REJU)
CENTRO DE MÍDIA ALTERNATIVA BARÃO DE ITARARÉ
GILBERTO CERVINSKI  - MAB - Movimento Dos Atingidos Por Barragens
WLADIMIR POMAR – Analista político e escritor
ANDREA LOPARIC – USP
BRENO ALTMAN – Jornalista
ALFREDO SAAD-FILHO (SOAS - UNIVERSIDADE DE LONDRES)
MARIA DE LOURDES MOLLO (UNB)
NIEMEYER ALMEIDA FILHO (UFU)
CARLOS PINKUSFELD (UFRJ)
MARCELO PRONI (UNICAMP)
PEDRO ESTEVAM SERRANO – PUC/SP
PEDRO ESTEVAM DA ROCHA POMAR – Jornalista
GENTIL CORAZZA (UFRGS)
RUBENS SAWAYA (PUC-SP)
PEDRO ROSSI (UNICAMP)
CONCEIÇÃO OLIVEIRA – Educadora e blogueira
LUIZ CARLOS DE FREITAS – UNICAMP
CAIO NAVARRO DE TOLEDO – UNICAMP
MARIA A. MORAES SILVA – UFCAR E UNESP
JOYCE SOUZA - Jornalista
EDUARDO FERNANDES DE ARAUJO – UFPA
LUIZ CARLOS PINHEIRO MACHADO -  UFRGS – UFSC - UFFS
ANA LAURA DOS REIS CORREA – UNB
MONICA GROSSI – UF de Juiz de Fora
DANIEL ARAUJO VALENÇA – UFERSA
MARCIO SOTELO FELIPPE  - Advogado
DEBORA F. LERRER – CPDA/UFRRJ
HORACIO MARTINS DE CARVALHO – Militante Social
GERALDO PRADO – UFRJ
ANTONIO MACIEL BOTELHO MACHADO –
JUAREZ TAVARES - UERJ
CLARISSE MEIRELES – Jornalista
HELOISA FERNANDES - Socióloga/SP
ARLETE MOYSÉS RODRIGUES – UNICAMP
HELOISA MARQUES GIMENEZ – UNB
FLAVIO WOLF AGUIAR – USP
FERNANDO MATTOS - UFF
BRUNO DE CONTI - UNICAMP
JOSÉ EDUARDO ROSELINO - UFSCAR
ARIOVALDO DOS SANTOS - FEA/USP
LEVANTE POPULAR DA JUVENTUDE
JOSUÉ F. DE CASTRO - Pensador e Ativista Político - 
ANA FONSECA pesquisadora Campinas/São Paulo
ANTONIO LASSANCE Cientista Político DF
ARMANDO BOITO JR Cientista Político UNICAMP
DANIELA GORAYEB Professora de Economia - FACAMP Campinas
GLAUCIA CAMPREGHER   UFRGS
JOSÉ EDUARDO CASSIOLATO Professor - UFRJ 
FREDERICO GONZAGA JAYME JR. UFMG
JOSE MARCOS NOVELLI PROFESSOR UFSCar 
JOSÉ ROBERTO ZAN Professor Campinas - São Paulo
JULIA BRAGA Professora Universitária Rio de Janeiro/RJ
LUIZ EDUARDO SIMÕES DE SOUZA     PROFESSOR UNIVERSITÁRIO GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS
MAGDA BARROS BIAVASCHI Pesquisadora CESIT/IE/UNICAMP
SONIA ARANHA – Centro de Estudos - Consultora Educacional Campinas
SORAIA APARECIDA CARDOZO Professora - UFU
UNEAFRO-BRASIL Movimento Sao Paulo
WILMA PERES COSTA professora universitária São Paulo
VERA ALVES CEPÊDA professora ufscar  são carlos/sp
MARCELO MANZANO FACAMP Economista Campinas, SP
WILSON CANO - UNICAMP

ERMÍNIA MARICATO - FAUUSP e UNICAMP


 
Confira quem mais assinou o manifesto: 
 


Conteúdo Relacionado