Política

Nota sobre o documento 'Por um Brasil Justo e Democrático'

As declarações de que este é um documento partidário prestam-se para interditar o debate pela desqualificação dos atores.

06/10/2015 00:00

reprodução

Créditos da foto: reprodução

Em respeito aos inúmeros acadêmicos cientistas e intelectuais independentes que aceitaram o convite para participar de forma plural e suprapartidária da elaboração do documento “Um Brasil Justo e Democrático”, vimos expressar nosso estranhamento com a visão deturpada que vem sendo atribuída à sua autoria no âmbito dos meios de comunicação em geral.
 
A participação da Fundação Perseu Abramo como uma das articuladoras desse esforço coletivo não sustenta a simplificação de se tratar tal documento como partidário, o que ele não é. Essa simplificação presta-se para interditar o debate pela desqualificação dos atores.
 
A motivação de discutir o modelo de sociedade e oferecer alternativas ao debate plural e democrático de ideias teve como ponto de partida a reflexão acumulada nos últimos anos pelo Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento, Rede Desenvolvimentista, Brasil Debate e Plataforma Política Social – Caminhos para o Desenvolvimento, que participaram da organização do documento em conjunto com organizações da sociedade civil como o Le Monde Diplomatique Brasil e o Fórum 21. Muitos dos intelectuais que participaram da elaboração do documento – pertencentes a diversas universidades, centros de pesquisa e organizações da sociedade civil – contribuíram para a reflexão fomentada por esses núcleos.   
 

Nosso intuito nesta nota é restabelecer a veracidade deste processo e sua relevância na construção de um projeto alternativo para o Brasil



Conteúdo Relacionado