Política

O bolsonarismo não falha nunca

Saiba quem é o vereador Dr. Jairinho

11/04/2021 10:39

(Reprodução/Twitter)

Créditos da foto: (Reprodução/Twitter)

 
O vereador carioca Dr. Jairinho (Solidariedade), preso acusado de um crime que impacta o Brasil, é filho do ex-deputado Coronel Jairo (da PM-RJ), ligado a milícias, que foi vice-presidente da Assembleia Legislativa do Rio.

Coronel Jairo também foi preso por corrupção em novembro de 2018.

O Dr. Jairinho (médico formado em uma faculdade paga de Caxias, e que nunca exerceu a Medicina), foi presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal do Rio, e 1º secretário desta casa legislativa.

Para se ver a quanto andamos em termos de representação parlamentar e de Educação em nosso país.

Eleitorado deles, pai e filho, presente de modo significativo nas favelas da Zona Oeste carioca, como Catiri, e o Batan, das mais pobres do Rio, próximas respectivamente a Bangu e Realengo.

Quem foi o líder do prefeito corrupto Marcello Crivella, da Igreja Universal, na Câmara Municipal? O Dr. Jairinho. Todos eles muito "cristãos".

Quem foi o coordenador da campanha de Flávio Bolsonaro à prefeitura do Rio em 2016? O Coronel Jairo.

BOLSONARISMO É O PIOR DA PODRIDÃO DA VELHÍSSIMA POLÍTICA

Ambos, coronel Jairo, e Dr. Jairinho, fizeram carreira no PSC (do picareta pastor Everaldo - ladrão contumaz, recolhido à penitenciária de Bangu I, e negacionista da ditadura militar). Pastor Everaldo foi quem batizou o miliciano-mor, o genocida Jair Bolsonaro.

Jairo e Jairinho depois passaram ao MDB e desembarcaram ultimamente no Solidariedade. Os dois, óbvio, sempre de direita, golpistas, bolsonaristas de carteirinha. Oriundos do PSC, metidos na picaretagem "evangélica".

Péssima tradição brasileira, a representação parlamentar, principalmente nos municípios e estados, passa a ser propriedade em grande parte de clãs familiares. O mais famoso exemplo atual é o da família Bolsonaro, com participação na própria presidência do país.

O pai, coronel Jairo, vinha de deputado estadual (desde 2000) e o filho de vereador (desde 2002). Já que concorreram em anos eleitorais diferentes, pai e filho usaram inclusive o mesmo número como candidatos, 77.123.

Coronel Jairo não se reelegeu em 2018 por conta do escândalo da sua prisão à véspera da eleição; mesmo assim ficou na 1ª suplência.

Ainda tem mais, Coronel Jairo e o filho, Dr. Jairinho. são acusados de forma inequívoca (embora sem serem citados nominalmente, tal o terror de represálias da vítima até hoje) pelo ex-fotógrafo do jornal carioca "O Dia", Nilton Claudino, de o terem submetido, em 2008, juntamente com uma repórter do mesmo jornal, a sessão de torturas na favela do Batan.

Nilton Claudino relatou a pavorosa sessão de torturas sofridas, com ampla participação de policiais militares uniformizados, e o local cercado por carros da Polícia Militar, em artigo na revista "Piauí", em agosto de 2011; e também em entrevista ao "Programa do Bial", em 15 de abril de 2019.

Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), eleito senador em 2018, gravou vídeo com o Coronel Jairo, em que ambos, abraçados, trocam os maiores elogios e pedem mutuamente votos. O Republicanos é a legenda política da Igreja Universal.

O filho do atual presidente, notório por sua ligação com milicianos, envolvimento em rachadinhas, lavagem de dinheiro e aquisição de imóveis com dinheiro vivo, conclui assim o vídeo: "E você, que vota em Jair Bolsonaro para presidente, tem que escolher um time aliado com ele, então vote em Coronel Jairo".





Conteúdo Relacionado