Saúde

Especialistas horrorizados com novo recorde da Covid-19 nos EUA

"Eu temia este dia, e aqui está ele... um abandono histórico e sem precedentes do povo norte-americano."

05/11/2020 19:49

Um paciente é levado de uma ambulância para o pronto-socorro de um hospital na cidade de Tuba City, na Cidade de Tuba, no Arizona, em 24 de maio de 2020. (Foto: Mark Ralston/AFP via Getty Images)

Créditos da foto: Um paciente é levado de uma ambulância para o pronto-socorro de um hospital na cidade de Tuba City, na Cidade de Tuba, no Arizona, em 24 de maio de 2020. (Foto: Mark Ralston/AFP via Getty Images)

 
Com grande parte da atenção do país compreensivelmente consumida pelos acontecimentos por eleições presidenciais de alto risco, os Estados Unidos registraram, na quarta-feira (4/11), mais de 104.000 novas infecções do Covid-19, a mais recente indicação alarmante de que - longe da insistência repetida pelo presidente Donald Trump de que o vírus está desaparecendo - a pandemia mortal só está piorando à medida que os meses de inverno se aproximam.

"A contagem que me preocupa? Mais de 100.000 casos de Covid-19 ontem", tuitou o epidemiologista de Yale Gregg Gonsalves na manhã de quinta-feira. "As mortes aumentaram 21%. Houve silêncio sobre isso da Casa Branca e dos Democratas. Isto é um tsunami… nos inundando. Prestem atenção.”

Chegando apenas 24 horas depois que milhões de norte-americanos compareceram aos locais de votação em todo o país para depositar suas cédulas na corrida presidencial e nas disputas de votação, a quarta-feira marcou a primeira vez que os EUA registraram pelo menos 100.000 novas infecções por coronavírus em um único dia.

O Dr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, vem alertando desde junho - quando os EUA reportavam cerca de 40.000 casos por dia - que o país poderia chegar a 100.000 novas infecções por dia, se medidas preventivas mais agressivas não fossem tomadas pelo governo federal em parceria com líderes estaduais e locais.

“Teremos muito sofrimento. Não é uma situação boa.", disse Fauci ao Washington Post na semana passada. “Todas as estrelas estão alinhadas no lugar errado quando entramos pelo outono e inverno, com as pessoas se reunindo dentro de casa. Não poderíamos estar em pior posição.”

Além do aumento de casos em todo o país, as internações por coronavírus também estão subindo em mais de uma dúzia de estados, de acordo com dados compilados pelo Covid Tracking Project.

Os últimos números de coronavírus recordes vieram dias depois que Deborah Birx, coordenadora da força-tarefa de coronavírus da Casa Branca, alertou em um relatório interno datado de 2 de novembro que os EUA estão "entrando na fase mais preocupante e mortal desta pandemia" e pediu ao governo Trump que tomasse "medidas muito mais agressivas".

"Os casos estão aumentando rapidamente em quase 30% de todos os condados dos EUA, o maior número de pontos com concentração de infecções", lê-se no relatório de Birx, obtido pelo Post. "Metade dos Estados Unidos está na zona vermelha ou laranja para casos, apesar da manutenção ou queda dos testes."

Enquanto Birx soava o alarme nos bastidores e outros especialistas emitiam avisos semelhantes publicamente, Trump continuou a realizar comícios presenciais lotados nos dias que antecederam a eleição de terça-feira e minimizar a gravidade da pandemia, que já matou mais de 234.000 pessoas apenas nos EUA.

Como a Common Dreams relatou no fim de semana, uma análise da Universidade de Stanford ligou 18 dos comícios de campanha de Trump de 20 de junho a 30 de setembro a mais de 30.000 infecções por coronavírus e pelo menos 700 mortes.

"Isso é tudo que eu ouço falar agora. Ligue a televisão, ‘Covid, Covid, Covid Covid Covid.’ Um avião cai, 500 pessoas mortas, eles não falam sobre isso. 'Covid Covid Covid Covid'", disse Trump a uma multidão de seus apoiadores na Carolina do Norte no final do mês passado. “A propósito, em 4 de novembro, você não vai ouvir mais sobre isso.”

O Dr. Peter Hotez, professor da Baylor College of Medicine, tuitou na quarta-feira que há muito temia que os EUA chegassem a 100.000 casos de Covid em um único dia, um marco sombrio que expõe ainda mais os fracassos do governo Trump, disse ele.

"Eu temia este dia, e aqui está ele. E as luzes estão apagadas por todo o Poder Executivo do nosso Governo Federal", disse Hotez. “Um abandono histórico e sem precedentes do povo norte-americano. Estou horrorizado.”

Publicado originalmente no site Common Dreams | Tradução por César Locatelli