Sociedade e Cultura

10 Razões pelas quais você deve abandonar as redes sociais, segundo Jaron Lanier, Pioneiro da Internet

Uma das vozes mais qualificadas no tema alerta de que a tecnologia digital poderia representar o nascedouro de um desastre

23/05/2019 14:11

 

 

Jaron Lanier é uma das pessoas com as declarações mais impactantes que se pode encontrar no Vale do Silício, com seus dreadlocks, seu olhar fulminante, sua inteligência afiada e seu caráter explosivo. Lanier foi parte da criação do protocolo da Internet, é considerado o pai da realidade virtual e um dos informáticos mais brilhantes da história do Vale do Silício. É escritor, filósofo e um destacado compositor de música clássica e eletrônica, que colaborou com músicos como Terry Riley e Philip Glass. Na última década, se tornou um dos principais críticos do uso da tecnologia digital. Há alguns anos, publicou um livro com o pouco sutil título “Você não é um aplicativo”, e sua outra obra, mais recente, se chama “Dez Argumento para Você Deletar Agora Suas Redes Sociais”.

Atualmente, Lanier é consultor para Microsoft, e não vacila em dizer que é uma voz qualificada para criticar a tecnologia digital, pois ele mesmo sabe cimo estão sendo desenhados os algoritmos. “Na verdade, conheço os algoritmos. Não sou um estranho que olha e critica”, diz Jaron. “Falo como cientista informático, não como cientista social ou psicólogo. A partir dessa perspectiva, posso ver que o tempo está se acabando. O mundo está mudando rapidamente sob o nosso mando. Portanto, não fazer nada não é uma opção”.

Lanier acrescenta que “o algoritmo está tentando captar os parâmetros perfeitos para manipular o cérebro, enquanto o cérebro, para encontrar um significado mais profundo, está mudando as respostas aos experimentos do algoritmo... Já que o estímulo não significa nada para o algoritmo, pois é genuinamente aleatório, o cérebro não está respondendo a algo real, e sim a uma ficção. O processo – de se obcecar com uma elusiva miragem – causa dependência.

Lanier assegura que os algoritmos dos bancos de dados gigantes criaram um novo modelo no qual “o comportamento dos usuários é o produto”, um comportamento que está sendo constantemente modificado, pois a grande aposta é justamente essa, usar o mais avançado informaticamente para aprender a modificar a conduta da forma mais proveitosa para os interesses das corporações. Basicamente, o que Lanier (que se considera um otimista) acredita é que a Internet pode ser salva, mas é preciso abandonar as redes sociais e desmontar os grandes monopólios que controlam as nuvens de dados. Lanier utiliza a metáfora de um certo tipo de tinta que contém chumbo: quando se descobriu que a tal tinta continha chumbo, se criou uma nova tinta limpa, não se deixou de pintar as casas. Em seu livro, ele cita o que batizou como bummer, um acrônimo da frase “Comportamento de Terceiros, Modificado e Transformado num Império para Alugar” (do inglês Behaviour of Others, Modified, and Made into an Empire for Rent), e que descreve como “uma máquina de fazer cabeças”. Se trata de uma máquina estatística de manipulação de comportamento, para criar um império espectral em benefício de alguns poucos. O que se deve fazer é identificar os sites onde opera o bummer, esta máquina de modificação de condutas que usa as nuvens de dados, e apagar esses sites.

O problema está no modo de operar destes algoritmos, que estão sendo ajustados constantemente para capturar a atenção dos usuários e fazer com que se comportem de uma forma que seja mais rentável. Isso gera uma enorme negatividade, sensações de raiva, narcisismo, indignação, entre outras, pois estas plataformas aprenderam que as emoções negativas duram mais online: o ódio se canaliza melhor online. Segundo Lanier, as ferramentas destas plataformas funcionam melhor para as pessoas que buscam reproduzir sentimentos negativos. “Portanto, o Estado Islâmico tem mais sucesso nas redes sociais que os ativistas da Primavera Árabe. Os racistas obtêm mais impacto que o movimento Black Lives Matter (“Vidas Negras Importam”), criando este aumento no movimento nacionalista racista nos Estados Unidos de uma forma que não havíamos visto em gerações”.

Estes são os dez argumentos de Lanier para que você abandone agora as redes sociais (que correspondem aos dez capítulos de seu livro):

1) Você está perdendo seu livre arbítrio.

2) Renunciar às redes sociais é a forma mais precisa de resistir à loucura dos nossos tempos.

3) As redes sociais estão tornando você um idiota.

4) As redes sociais estão minando a verdade.

5) As redes sociais fazem que aquilo que você diz não ter importância.

6) As redes sociais estão destruindo sua capacidade de empatia.

7) As redes sociais estão fazendo você ser infeliz.

8) As redes sociais não querem que você tenha dignidade econômica.

9) As redes sociais estão fazendo com que a política seja impossível.

10) As redes sociais odeiam a sua alma.

*Publicado originalmente em pijamasurf.com | Tradução de Victor Farinelli

Conteúdo Relacionado