Sociedade e Cultura

1984: George Orwell e o poder da ignorância na manutenção do 'status quo'

Na sociedade do conhecimento e da informação instantânea, a escravidão moderna dos indivíduos não funciona como outrora, baseada na coerção e na força, mas no controle do pensamento (nas estratégias de manipulação), alienando o indivíduo e transformando-o em um autômato incapaz de escrever uma linha da sua vida com suas próprias mãos

02/10/2018 17:52

''De maneira permanente, uma sociedade hierárquica só é possível na base da pobreza e da ignorância'' (George Orwell)

Créditos da foto: ''De maneira permanente, uma sociedade hierárquica só é possível na base da pobreza e da ignorância'' (George Orwell)

 

Existe um ditado popular que diz o seguinte: podem tirar tudo de nós, menos o nosso conhecimento. Podemos dizer que a capacidade que o ser humano tem de refletir criticamente sobre a vida é o que determinada em grande medida a sua liberdade, mas a grande questão é: por que as pessoas recusam repensar suas crenças, valores e opiniões políticas? Medo?

Freud explica da seguinte maneira: “A nossa civilização é em grande parte responsável pelas nossas desgraças. Seríamos muito mais felizes se a abandonássemos e retornássemos às condições primitivas“.

Dito isso, observemos: se porventura o individuo esteja preso em círculos de pensamentos repetitivos que não são seus, isto é, seja tão somente um reprodutor de um discurso que lhe é passado, por meio das relações sociais, torna-se impossível ser livre e, consequentemente, será um escravo do sistema vigente. Ele estará adaptado a servidão voluntária.

“De maneira permanente, uma sociedade hierárquica só é possível na base da pobreza e da ignorância.” George Orwell.



Na sociedade do conhecimento e da informação instantânea, a escravidão moderna dos indivíduos, não funciona como outrora, baseada na coerção e na força, mas no controle do pensamento(nas estratégias de manipulação), alienando o indivíduo e transformando-o em um autômato incapaz de escrever uma linha da sua vida com suas próprias mãos. A burguesia dominante cria amarras invisíveis, a fim de que os indivíduos se mantenham subjugados sem que percebam a prisão que os envolve.

Essa cegueira social, como é bem representada no livro “O Ensaio sobre a Cegueira de Jose Saramago“, se dá em virtude da falta de reflexão crítica que os indivíduos possuem, de modo que se torna muito fácil controlá-los à realidade que os dominantes julgam como necessária à manutenção do famosos status quo.

Desta maneria, “magicamente” a realidade passa a ser construída pelos detentores do poder nas relações de força na sociedade; de maneira que ela seja modificada e ajustada de acordo com os interesses do momento. Os “prole”, (termo de George Orwell ) apenas aceita a verdade imposta, ainda que esta seja contraditória e vise à manutenção das discrepâncias sociais.



Como livrar-se da dominação ?

A primeira coisa a fazer é reconhecer que há um sistema que deseja continuar com o poder e com a velha lógica de dominação em massa. Não se trata de uma teoria da conspiração. Essa realidade existe. É preciso estudar com seriedade para não confundir com teorias exageradas como os iluminatis e a nova ordem mundial. Seja prudente! Questione tudo e retenha somente aquilo que for coerente.

O controle do pensamento em massa se dá mais eficaz, visto que inexistindo uma coerção física para os que se afastam da linha, há um trabalho muito mais forte de sedução, para que voluntariamente os indivíduos tornem-se servos e abdiquem do seu direito de pensar. A falsa ideia de que existe um salvador para solucionar os problemas de uma nação é bem antiga, e muitas pensam ainda compram essa mentira, como se fosse uma verdade.

A grande maioria está totalmente adequada ao sistema, como podemos ver em Matrix. Todos vivendo felizes em sua ignorância. Vivendo vidas mecânicas, são incapazes de questionar a realidade de sua própria existência e escravidão.

. Ainda que as condições sejam difíceis e complexas, principalmente para quem mora no Brasil, existe a possibilidade de não se condicionar a esse sistema opressor. Contudo, cada vez mais facilmente as pessoas têm aceitado as crenças contraditórias da classe dominante, permanecendo imersas na sua pobreza e ignorância, mesmo que não percebam ou não queiram perceber a venda nos seus olhos.

Quando aprendermos, como diz “o profeta Geroge Orwell“, que a verdade não é questão de estatística, seremos seres pensantes e como indivíduos capazes de produzir o próprio conhecimento, mas verdade seja dita: “Quantas verdades você consegue suportar?” “Você se adaptou a uma sociedade doente ou você é um doente que não sabe que está enfermo?”

*Publicado originalmente no blog do autor, O Martelo de Nietzsche

Conteúdo Relacionado