Sociedade e Cultura

Governadores do Nordeste apresentam oportunidades de investimento e falam em ''sucesso'' após primeira reunião em Paris

 

18/11/2019 16:30

 

 
OUÇA A ENTREVISTA:



Rui Costa, Governador da Bahia e Presidente do Consorcio Nordeste, fala a Tiago Leme, de Paris

“Consórcio retoma o planejamento regional que a Sudene exerceu no passado”

Essa viagem traz o Nordeste para o monitor do investimento estrangeiro, cujo foco era monopolizado por São Paulo. A verdade é que a nossa região tem crescido mais que o país.

No início de 2020, teremos reuniões bilaterais no Brasil para negociar projetos de saneamento e transporte público

O novo aeroporto de Porto Seguro, de R$ 400 milhões, é fruto de uma viagem como essa à Alemanha, feita em 2016

Estamos oferecendo um leque de projetos associados ao desenvolvimento sustentável que hoje tem forte atratividade aqui na Europa

***

Os governadores do Nordeste do Brasil fizeram nesta segunda-feira, dia 18, em Paris, a primeira de uma série de reuniões esta semana na Europa, com o objetivo de apresentar oportunidades de investimento na região e buscar parcerias. Após o encontro realizado no Ministério da Economia e Finanças da França, o discurso dos participantes foi de um saldo positivo nas conversas que tiveram com autoridades e 40 empresários franceses.

(Foto: Elisa Elsie)

Os membros do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste) fizeram uma apresentação em vídeo e também falaram sobre oportunidades em diversas áreas, como sustentabilidade, infraestrutura, turismo, saúde, segurança pública, saneamento e energias limpas. Presidente do consórcio, o governador da Bahia, Rui Costa, fez um balanço do que foi discutido e se mostrou animado com as possibilidades.

(Foto: Tiago Leme)

“Foi um sucesso. Hoje nós começamos nossa caminhada que vai até sexta-feira, que envolve a França, Itália e Alemanha. O objetivo é apresentar o Nordeste brasileiro, as inúmeras possibilidades de negócios multilaterais, de investimentos em parcerias público-privadas (PPP), ou de concessão pública, priorizando o desenvolvimento sustentável, a geração de energias renováveis. Então, nós apresentamos aqui muitas oportunidades e já desdobramos em encontros específicos, temáticos, que faremos lá no Nordeste sobre a questão do saneamento, água, esgoto, resíduo sólido, transporte público, mobilidade urbana e cidade sustentável. O Nordeste é a região do Brasil que tem crescido acima da média. Temos 33 projetos para licitar em PPPs, representando R$ 27 bilhões em investimentos”, afirmou.

Para ampliar o fluxo de negócios com investidores europeus e fortalecer as relações de cooperação, o consórcio destacou o potencial de consumo e de desenvolvimento da região nordestina, que reúne 57,1 milhões de habitantes e tem um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 898,1 bilhões, equivalente a 14% do PIB brasileiro.

(Foto: Elisa Elsie)

A reunião desta segunda em Paris teve as participações dos governadores Rui Costa (Bahia), Renan Filho (Alagoas), Camilo Santana (Ceará), João Azevêdo (Paraíba), Paulo Câmara (Pernambuco), Wellington Dias (Piauí), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), assim como o vice-governador Carlos Brandão (Maranhão). O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, não viajou por motivos de saúde e está representado na missão pelo superintendente de Parcerias Público Privadas, Oliveira Junior. Luis Cesar Gasser, representante do Itamaraty, também está na viagem com o Consórcio Nordeste. Pelo lado da França, além de empresários, autoridades também estiveram presentes na apresentação e nas conversas, como Bruno Le Maire, ministro da Economia e Finanças, Cristophe Bories, diretor geral do tesouro francês, e Gérard Wolf, membro do Movimento das Empresas da França (Medef).

(Foto: Tiago Leme)

“A França investe mais no Brasil do que na China. O Nordeste é uma região que tem três vezes a superfície da França e tem desafios e oportunidades para nossas empresas. As autoridades francesas estão mobilizadas para apoiar projetos no Brasil através de financiamentos. Podemos fazer vários tipos de cooperação entre a França e os estados do Nordeste”, explicou Bories.

(Foto: Elisa Elsie)

Além da busca de novos investidores, existe ainda a possibilidade de ampliação de parcerias com entidades financiadoras, a exemplo da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), que já investem em projetos de sustentabilidade, agricultura e combate à pobreza no Nordeste. O encontro em Paris foi apenas o início de uma série de reuniões, mas o governador do Piauí, Wellington Dias, já apontou os primeiros êxitos, como a realização de eventos temáticos no país no próximo ano.

(Foto: Tiago Leme)

“Acho que nós tivemos dois grandes resultados. Primeiro, foi a percepção das oportunidades, que são muitas, para investimentos nesta região por parte da França. Segundo, um grupo de trabalho que já sai deste encontro, onde celebramos um compromisso de a partir de agora trabalharmos em um perspectiva de investimentos na área de saneamento, de cidades sustentáveis, energias limpas. Eu destaco ainda a parte de infraestrutura, e vamos organizar para o primeiro semestre de 2020 eventos temáticos onde eles têm o compromisso de participar”.

(Foto: Elisa Elsie)

Uma das áreas mais comentadas durante o encontro foi de energias limpas e sustentabilidade, setores que o Nordeste brasileiro tem grande potencial para atrair os estrangeiros, segundo explicou Carlos Brandão, vice-governador do Maranhão.

“Nós temos oportunidades enormes na área de energia renovável, que foi citada aqui bastante, energia eólica, energia solar. Temos um grande potencial também na questão ambiental. Tivemos a oportunidade de conversar com o ministro da economia, com autoridades do Governo francês e com empresários. Vamos agora montar um grupo de trabalho para dar sequência a essa reunião. Estabelecemos que isso vai ser centralizado na embaixada francesa no Brasil. A França tem recursos, nós temos falta de recursos e precisamos desses recursos para desenvolver a nossa demanda. Essa primeira reunião que tivemos aqui na França foi muito proveitosa. Eu não tenho dúvidas que isso vai gerar bons frutos”, detalhou.

(Foto: Elisa Elsie)

A iniciativa do Consórcio Nordeste nasce justamente no centenário de nascimento do patrono dessa agenda no país, o economista Celso Furtado (1920-2004). Nascido em Pombal, na Paraíba, ele foi o idealizador e primeiro responsável pela SUDENE, Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste, em 1959. Apesar de algumas semelhanças entre as duas entidades na busca pelo desenvolvimento da região, o vice-governador do Maranhão aponta diferenças.

(Foto: Tiago Leme)

“A SUDENE quando foi criada teve o perfil de desenvolvimento regional, aqui na realidade eu diria que tem um outro perfil. Nós temos um grande potencial e vai depender muito do interesse das empresas francesas em investir. A gente mostrou aqui um leque de opções, cabe a eles identificar o que é lucrativo para eles. Então, o conceito da SUDENE era um projeto de desenvolvimento sustentável subsidiado pelo Governo Federal. Aqui, não. É uma parceria público-privada que há interesse no faturamento financeiro das empresas, eles não têm interesse em subsidiar, dar benefícios fiscais. A SUDENE na realidade era um patrocínio do Governo Federal de subsídios a fundo perdido, aqui é fundo lucrativo. O Brasil não tem lastro para financiar fundo perdido. Então, cabe a nós procurar quem quer ganhar dinheiro e de que forma isso pode se consolidar”, explicou Carlos Brandão.

A comitiva do Nordeste ainda participa de reuniões com setores econômicos e governamentais nesta terça-feira em Paris. “Amanhã (terça-feira) seguimos a agenda com apresentações e encontros empresariais e também com o Governo francês, onde nós vamos assinar inclusive protocolos de entendimento do Consórcio com instituições públicas francesas”, disse Rui Costa.

(Foto: Tiago Leme)

Depois, os próximos compromissos da viagem à Europa serão em Roma, na Itália, quarta-feira, e em Berlim, na Alemanha, quinta e sexta.



Conteúdo Relacionado