Sociedade e Cultura

O culpado é você!

 

12/03/2019 17:19

(Eric Gaillard/Reuters)

Créditos da foto: (Eric Gaillard/Reuters)

A obesidade atinge grande parte da população mundial, diabetes está explodindo por toda parte, milhões morrem por ingestão de partículas produzidas pelos carros, novas bactérias resistentes surgiram com a generalização dos antibióticos colocados na carne que comemos, o câncer mata cerca de 10 milhões de pessoas, e quase ninguém consegue regular os agrotóxicos. Bem, a culpa, naturalmente, é nossa. Ou seja, nós como indivíduos, como consumidores.

E não param de nos dar lições: coma produtos naturais, faça exercício, ande de bicicleta, recuse frango que não seja orgânico, controle o açúcar que você come (é só decifrar as etiquetas nos supermercados), elimine refrigerantes, evite alimentos com agrotóxicos, informe-se. E mais, é você, com esse seu consumo irresponsável, que está provocando a crise climática.

Ou seja, somos nós os irresponsáveis, e não as empresas que entopem tudo de açúcar, falsificam os dados sobre emissões dos carros, colocam antibióticos na ração para acelerar a engorda dos animais, generalizam o uso de agrotóxicos e gastam milhões com lobbies para evitar qualquer regulação. São as nossas crianças que são irresponsáveis por gostar de refrigerantes cheios de açúcar e de fast food recheado de sal, gordura e açúcar! E você é irresponsável ao pegar o seu carro em vez de pedalar saudavelmente de bicicleta no meio do trânsito.

É claro, você deve gastar mais para comprar produtos orgânicos, assegurar sucos naturais e sem açúcar, pagar as mensalidades do Pilates ou da piscina, se possível morar em bairro aprazível e arborizado, cozinhar com calma na sua casa comida saudável para as crianças. E se o novo estilo de vida te enforcar no cartão de crédito e nas dívidas, é só você ler os folhetos publicados pelos bancos, ensinando você a tomar crédito de maneira responsável. Porque se você está enforcado, não é pela agiotagem dos bancos e dos crediários, é porque você não estudou a cartilha.

Há hoje um modesto refluxo relativamente a este besteirol. É a empresa com os seus milhões e seus laboratórios que sabe o que está colocando nas nossas comidas, nos nossos refrigerantes. É a empresa que pode realmente investir em veículos limpos. São os governos, com as suas alianças empresariais, que podem inverter os subsídios hoje concedidos ao petróleo e dirigi-los para energia limpa. São os marqueteiros de todo tipo que sabem como trambicar a informação ao consumidor e, eventualmente, produzir informação honesta. São os controladores da grande mídia comercial que geram o consumismo, inclusive entre crianças, e que poderiam assegurar uma comunicação menos massacrante e idiota. É o moleque que deve saber o que faz bem ou o que faz mal, e pedir para comer mais legumes?

Dois artigos curtos, do Guardian, apresentam a reviravolta que está se dando. Estão em inglês, mas se você colocar um tradutor verá que o sentido se torna claro. E se você ainda não fala inglês, o culpado, naturalmente, é você. Você não vê para onde vai o mundo?

“Yes, we can improve our diet but the world is rigged against our efforts”, por Barbara Ellen, em:

https://www.theguardian.com/commentisfree/2019/mar/10/yes-we-can-improve-our-diet-but-the-world-is-rigged-against-our-efforts

“Take on food industry to beat malnutrition and obesity, says report”, por Sarah Boseley, em:

https://www.theguardian.com/society/2019/jan/27/food-industry-obesity-malnutrition-climate-change-report

*Publicado originalmente no blog do autor



Conteúdo Relacionado