Editorial

A Era das Rebeliões

 

25/10/2019 00:00

O economista MARCIO POCHMANN inicia a série, apresentando a obra e a atualidade do filósofo HERBERT MARCUSE

 
Na América Latina e em todo o mundo, o que está em jogo na resistência à barbárie social e ambiental é o poder. Quem decidirá o quê, e como, no passo seguinte da história? Como substituir o capitalismo alucinado da desordem neoliberal pela sociedade do bem comum? Disso tratará a série Clássicos em Podcast que a Rádio Carta Maior está lançando agora.

***

Radio Carta Maior apresenta:

Clássicos em Podcast

A série que estamos lançando agora pela Rádio Carta Maior nasceu com uma preocupação de indiscutível relevancia nos dias que correm.

O objetivo é colocar nossos ouvintes em contato direto com obras, autores e ideias que se consolidaram, e subsistem ao longo do tempo, como mirantes referenciais de observação, análise e discussão dos grandes temas e desafios da trajetória da humanidade.

A novidade da atual coleção é que a densidade intelectual desse percurso será associada à leveza e agilidade das novas ferramentas de comunicação, caso dos podcasts, que tornam mais flexíveis as opções de acesso ao debate e à reflexão.

Mas não apenas isso.

Carta Maior convidou para guiar seus ouvintes nesse encontro com os grandes clássicos do pensamento, intelectuais, lideranças sociais e professores de reconhecida qualificação acadêmica e arguta capacidade crítica.

Entre eles figuram Marcio Pochmann, que inicia a série (clique aqui), Olgária Matos, Luiz Gonzaga Belluzo, Maria Rita Khel, entre outros.

Serão essas vozes que apresentarão aos ouvintes textos e pensadores de forte incidência na compreensão dos grandes temas e angústias do momento histórico que vivemos.

Junto com o áudio quinzenal eles indicarão leituras complementares, ou mesmo obras de apoio que permitam ir além do contato inicial estabelecido pela exposição gravada.

Simultaneamente, na página de Carta Maior, publicaremos trechos de textos especialmente selecionados pelo expositor convidado.

O pensamento e a relavante atualidade de Marx, Marcuse, Horckheimer, Keynes, Rosa Luxemburgo, Trotsky, Gramsci, Hannah Harendt, Walther Benjamin, entre outros, serão assim ordenados em módulos que permitirão trilhar os primeiros passos de um contato e também ir além, na leitura orientada pelo privilegiado olhar de especialistas.

É importante sublinhar que o objetivo da coleção Clássicos em Podcast não é criar uma tertúlia digital.

Ao contrário.

Move-nos a certeza de que vivemos um singular divisor da história.

São tempos de levantes.

As ruas no Peru, Equador, Catalunha, Líbano, Chile etc certamente gritam por conta de peculiaridades históricas irredutíveis a explicações monocausais.

A simultaneidade das irrupções em realidades tão diversas, no entanto, sugere um fio condutor que desemboca num ponto de saturação de natureza mais abrangente e gravidade ainda mais letal, do que podem nos sugerir os conflitos locais.

O fato inarredável é que a desordem instaurada pelo neoliberalismo na economia e na sociedade esgotou a tolerância dos cidadãos nos quatro cantos do planeta, ainda que nem sempre identifiquem assim a origem de sua inquietação com a sociedade e a própria vida pessoal.

A verdade é que a ganancia tóxica que colapsou na crise de 2008 --e a insistência em preserva-la dobrando-se a dose do veneno--, está cobrando um preço cada vez mais alto na esfera institucional e na vida cotidiana das populações.

À irrestrita liberdade econômica concedida aos mercados corresponde o enjaulamento asfixiante da autonomia dos governos, Estados e indivíduos para realização plena de seus anseios e potencialidades.

 

Frustração, ressentimento e niilismo transbordam por todos os poros do cotidiano individual e das sociedades gerando um mal-estar civilizacional, prestes a explodir.

Por trás desse sentimento de perda de sentido move-se um saque institucionalizado contra a existência social, individual e ambiental.

Transferir renda a qualquer preço aos acionistas, rapinar estruturas produtivas prontas, privatiza-las para escalpelar custos e extrair dividendos no limite da predação, bater a meta dos fundos de investimentos especulativos, enfim, agir como se não houvesse amanhã na captura do patrimônio público, na des-emancipação social impiedosa das massas assalariadas e no esgotamento dos recursos que formam as base da vida na terra --eis o motor da engrenagem sufocante na qual o capitalismo mastiga a existência humana em nosso tempo.

O conjunto deixa pouca margem às aspirações do presente, subtrai conquistas do passado e interdita os caminhos do futuro.

As consequências para o planeta e a civilização desfilam diariamente aos nossos olhos.

A novidade é que a manipulação midiática e a repressão desabrida já não parecem suficientes para conter uma fornalha de indignação que passou a apitar de forma estridente em diferentes ruas do planeta e a partir de espoletas as mais diversas.

A preocupação de Carta Maior com o lançamento da série Clássicos em Podcast é adicionar elementos para a compreensão dessa revolta de modo a contribuir para que ela não se esgote na indignação desordenada, antessala das restaurações cínicas e/ou ditatoriais.

Na história só se supera aquilo que se substitui.

Para que o inaceitável não se transforme em prostração, e o revés, em niilismo, é necessário dar expressão constituinte à rebelião que estamos assistindo urbi et orbi.

O que está em jogo na resistência à barbárie social e ambiental é o poder.

Quem decidirá o quê, e como, no passo seguinte da história?

Novas formas de viver e de produzir, ou o caos e a sua contrapartida de aliança com o neofascismo entreguista ou pseudonacionalistas?

Disso tratará a série Clássicos em Podcast: das encruzilhadas de um capitalismo alucinado.

Mas, principalmente, da capacitação necessária para se enxergar alternativas além da nuvem de gás lacrimogênio e da alienação consumista e midiática.

Não por acaso estamos inaugurando a série com o resgate de um intelectual cujo pensamento já foi considerado um coquetel molotov filosófico.

Para Herbert Marcuse, egresso da Escola de Frankfurt, apresentado neste primeiro Podcast da coleção pelo respeitado economista e pesquisador Márcio Pochmann, o grande tema do nosso tempo é a rebelião contra a unidimensionalidade da vida.

Como romper um sistema de escopo totalizante, introjetado quase que metabolicamente no corpo e na alma dos cidadãos?

Como recusar aquilo de que você é parte constitutiva?

Marcuse não desqualifica o engajamento político partidário.

Mas adverte: não adianta mais buscar a mudança através de instituições adestradas para impedi-la.

A 'grande recusa' consiste em se atrever a organizar e vivenciar a ruptura em propostas e ações concretas contra a ubiquidade unidimensional da dominação capitalista.

A chave do jogo é a luta pela sociedade do bem comum.

É uma longa viagem, mas a caldeira que apita nas ruas diz que o vapor acumulado já tem fôlego para ir longe. Com a coleção Clássicos em Podcast Carta Maior quer contribuir para dar consistencia a esse percurso.

Boa viagem.

Joaquim Palhares, Saul Leblon e Carlos Tibúrcio



Créditos da foto: O economista MARCIO POCHMANN inicia a série, apresentando a obra e a atualidade do filósofo HERBERT MARCUSE