O dia da liberdade, da verdade e da dignidade

 

08/11/2021 15:58

O ex-presidente Lula ao deixar a prisão em Curitiba (Rodolfo Buhrer/Reuters)

Créditos da foto: O ex-presidente Lula ao deixar a prisão em Curitiba (Rodolfo Buhrer/Reuters)

 
Quando o Lula se despediu de todos nós, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, contra a vontade da maioria, ele esperava ficar preso alguns dias, no máximo umas semanas. Mas, de repente, esse prazo foi se alongando. Na Vigília lhe dávamos o "Bom dia, Presidente Lula", o "Boa tarde, Presidente Lula", e o "Boa noite, Presidente Lula" – ao que ele respondia acendendo e apagando as luzes da sua cela por três vezes.

Foram 580 dias e 580 noites, em que a esperança de que ele saísse dali, que fosse reconhecida sua inocência, que nós o abraçássemos de novo, foi se estendendo. Quando o visitávamos na sua cela, ele nos recebia com alegria, era ele que nos transmitia esperança, mas saíamos dali com muita tristeza, com a impotência de o deixarmos ali, nas mãos daqueles chacais, sem saber quando ele recuperaria sua liberdade.

Agora se cumprem dois anos que Lula saiu. Que ele recuperou sua liberdade, com toda a dignidade de quem não aceitou nenhum tipo de acordo para sair. Com a afirmação da sua verdade e das mentiras da Lava Jato.

Agora, consideramos normal que ele esteja de novo entre nós, que tenha assumido a liderança na luta contra esse governo, que tenha seus direitos recuperados e que seja o favorito para ser eleito novamente Presidente do Brasil. Mas houve quem no fundo gostasse que Lula estivesse alijado da política, porque sabem que com Lula ninguém mais pode aspirar a ser presidente do Brasil. Na direita, contavam que tinham tido sucesso em prendê-lo e condená-lo, em tirá-lo da disputa eleitoral. Outros se aventuravam a se candidatar, valendo-se da sua ausência.

Hoje comemoramos o Dia da Verdade, da Liberdade e da Dignidade do Lula e de todos nós. Porque a prisão dele era a nossa perda de liberdade, era a negação da verdade, era a falta de dignidade de todos nós. Este deve ser o Dia da Verdade, o dia em que se desmascararam as mentiras da Lava Jato. O Dia da Liberdade, porque todos nós perdíamos um pouco da nossa liberdade, já que ele nunca deveria ter perdido sua liberdade, pois estava injustamente preso e condenado. O Dia da Dignidade, porque Lula soube resistir, com toda a sua dignidade – que é também a nossa dignidade –, a todas as iniquidades que fizeram com ele e com todos nós.

Deve ser um Dia que fique inscrito como um dia de luta e de vitória do povo brasileiro contra os que quiseram que se impusesse a mentira, as atrocidades, a opressão. Que comemoremos este Dia, para que nunca mais inocentes sejam presos e condenados. Para que nunca mais quem os brasileiros querem como seu Presidente seja impedido de ser candidato. Para que nunca mais aquela maldita cela seja o espaço do Lula, quando seu espaço é o Brasil inteiro e o mundo.



Conteúdo Relacionado