Clipping Internacional

Clipping Mundo - 11/11/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

11/11/2021 09:11

(AP Photo/Nelson Antoine)

Créditos da foto: (AP Photo/Nelson Antoine)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

PESQUISA ELEITORAL/ Lula lidera as intenções de voto antes das eleições no Brasil: 46% contra 21% do Bolsonaro. O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva lidera as intenções de voto com ampla margem de vantagem diante das eleições presidenciais que ocorrerão em outubro de 2022, segundo a pesquisa da consultoria Quaest. Segundo a pesquisa, Lula teria 48% dos votos; Presidente Jair Bolsonaro, 21%, o ex-juiz Sérgio Moro, 8%; O trabalhista Ciro Gomes, 6%, o governador de São Paulo, João Doria, 2% e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, 1%. Nas simulações de segundo turno, Lula vence em todos os cenários: 57% dos votos ante 27% do Bolsonaro; 57% contra 22% para Moro e 53% contra 20% para Gomes. A desaprovação ao governo Bolsonaro subiu de 45% para 56% de julho a novembro, e a aprovação caiu de 26% para 19%. A grande maioria dos entrevistados (69%) afirma que Bolsonaro não merece ser reeleito presidente. (UYPress, Uruguai) | bit.ly/30arGuP

MORO/ Prendeu Lula e rompeu com Bolsonaro: agora Sérgio Moro quer disputar a presidência. Sergio Moro joga a cartada de candidatura "independente". O ex-juiz Sergio Moro entrou direto na política e foi apontado como candidato à Presidência do Brasil em 2022, em um claro desafio à polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e o progressista Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com pesquisas recentes, Lula é um claro favorito para 2022 com intenção de votar perto de 50%, Bolsonaro não passa de 35% e Moro começa a surgir entre uma dezena de possíveis candidatos da chamada "terceira via", com fechar a 10%. Os apetites políticos do ex-magistrado têm causado ressentimentos até na esfera judicial e no próprio Supremo Tribunal Federal. “A seletividade, o método de investigação e os vazamentos” para a imprensa dos processos contra Lula em Lava Jato “passam a convergir para um propósito claro e político que hoje se revela: Demonizar o poder para tomá-lo”, disse o ministro Gilmar Mendes, reitor ministro do STF. (El Diário, Espanha; El País, Espanha; Página 12, Argentina; Diário de Notícias, Portugal; El Mundo, Espanha; La Presse, Canadá; La Diaria, Uruguai; Diário de Notícias, Portugal; El Espectador, Colômbia; El Mundo, Uruguai; Última Hora, Paraguai) | bit.ly/3oncJ0Q | bit.ly/3n6qTUN | bit.ly/3c0bKOr | bit.ly/30dIXDg | bit.ly/3D892Cw | bit.ly/3c3ljME | bit.ly/3Ho32Iv | bit.ly/30dIXDg | bit.ly/3ktCj35 | bit.ly/3oiTgP5 | bit.ly/3F4sj8q

BOLSONARO/ Bolsonaro se junta a um partido do Centrão no Brasil antes da candidatura à reeleição de 2022. Depois de passar dois anos sem pertencer a um partido político, o presidente Jair Bolsonaro do Brasil selou um acordo com o centrista Partido Liberal para apoiar sua candidatura à reeleição em 2022, de acordo com um comunicado do partido divulgado na quarta-feira. A adesão a um dos partidos que fazem parte do chamado grupo Centrão parece sinalizar que Bolsonaro, um populista de direita, está mudando o curso de sua estratégia de campanha para 2018, quando criticou as práticas políticas da velha guarda do grupo. O Partido Liberal, ou PL, é conhecido junto com outros partidos do Centrão por sua maleabilidade ideológica, muitas vezes trocando apoio para nomeações e marcas governamentais. (The New York Times, EUA; Correio da Manhã, Portugal; Deutsche Welle, Alemanha; La Jornada, México) | nyti.ms/3D893q4 | bit.ly/3krRR7M | bit.ly/3Ho39np | bit.ly/3qucfJe

DESMATAMENTO/ O governo brasileiro reitera seu compromisso de acabar com a extração ilegal de madeira até 2028. O Governo de Jair Bolsonaro reiterou seu "compromisso ambicioso" de acabar com a extração ilegal de madeira no Brasil em 2028 e de fortalecer seus esforços para alcançar o desenvolvimento econômico dos habitantes da Amazônia. A afirmação foi do chefe do ramo em sessão plenária da cúpula do clima COP26, realizada em Glasgow (Escócia), da qual, no entanto, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, não compareceu. A extração ilegal de madeira e os incêndios na Amazônia brasileira cresceram durante o governo Bolsonaro, que está acelerando a destruição progressiva de um dos principais pulmões do planeta. Somente no primeiro semestre deste ano, o desmatamento atingiu 3.609 quilômetros quadrados, 17% a mais que no mesmo período de 2020, segundo dados oficiais. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3qp711f | bit.ly/3HaafM3

MOURÃO/ Vice-presidente do Brasil diverge de Bolsonaro e critica "orçamento paralelo". Hamilton Mourão considerou "oportuna" a "intervenção" do STF no chamado "orçamento secreto", contrariamente a Jair Bolsonaro, que criticou a "interferência" dos juízes. (Correio da Manhã, Portugal) | bit.ly/3qp725j

TXAI SURUI/ A jovem que desconcertou Bolsonaro por seu discurso na cúpula do clima. A indígena Txai Surui passa a ser alvo de mensagens odiosas depois que a presidente a criticou por seu discurso na COP26: “Vivo sob um clima de ameaças desde que me lembro”. O Txai Surui é a cara brasileira da COP26 em Glasgow este ano. Aos 24 anos, ela foi a primeira mulher indígena a falar na abertura de uma conferência sobre o clima. No meio das gravatas, a jovem, que usava um cocar de penas coloridas, exigia agilidade para enfrentar as mudanças climáticas. “Não é 2030 ou 2050. É agora!”, Disse Txai, que cresceu com os Paiter Suruí, entre os estados de Rondônia e Mato Grosso. A jovem chamou a atenção do mundo ao lembrar que os povos indígenas são os que mais sofrem com o aquecimento global. (El País, Espanha) | bit.ly/3HckcZu

INFLAÇÃO/Alarme no Brasil: inflação subiu para 10,67% em doze meses. Foi impulsionada pelos custos dos combustíveis e da comida. Em outubro, atingiu 1,25%, o nível mais alto naquele mês desde 2002. O índice de outubro foi o mais alto daquele mês em quase duas décadas (o custo de bens e serviços tinha sido de 1,31 por cento em 2002), então o acumulado ano a ano permanece pelo segundo mês consecutivo em dois dígitos, mais que o dobro do que foi previsto no orçamento. A inflação atinge principalmente a população mais vulnerável, que gasta grande parte de sua renda com alimentação, razão pela qual nos últimos meses se multiplicaram no país a imagem de mais pessoas procurando alimentos entre o lixo. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3F7J6aM

AUXÍLIO BRASIL/ Bolsonaro espera que novo esquema de bem-estar social eleve as perspectivas de reeleição. Críticos dizem que governo brasileiro está abandonando as regras fiscais para cortejar os eleitores na pesquisa do próximo ano. (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/3ks3VWB

CLÃ BOLSONARO/ Justiça brasileira anula processo sobre Flavio Bolsonaro. O Ministério Público do Rio havia apontado o filho de Bolsonaro como responsável por atos de corrupção durante sua gestão como deputado da Assembleia Legislativa estadual. O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) do Brasil anulou todas as decisões da Justiça do Rio de Janeiro no processo contra o senador Flávio Bolsonaro, acusado de desvio de dinheiro público. Ao anular o processo, a Quinta Câmara do órgão judiciário inutilizou as provas recolhidas e os autos e apreensões apresentados contra o filho do presidente Jair Bolsonaro, que foi apontado pelo Ministério Público do Rio como responsável por atos de corrupção durante sua gestão como deputado da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). (Telesur, Venezuela) | bit.ly/3C8QK2F

COVID-19/ O Brasil ultrapassa 610.000 mortes e 21,9 milhões de casos de Covid. O Brasil, um dos países mais afetados pela Covid no mundo, registrou 280 mortes e 12.273 casos de coronavírus nas últimas 24 horas, ultrapassando 610.000 vítimas e 21,9 milhões de infecções desde o início da crise, embora a pandemia continue diminuindo. Apesar dos elevados números acumulados, as médias de mortes e casos continuam nos níveis mais baixos em vários meses, após terem caído 91,62% desde 19 de abril último, quando o país sofreu o pico da segunda onda da pandemia. A queda acentuada nos números é atribuída ao avanço da campanha de vacinação, que o Brasil começou tarde e lentamente. (El Diário, Espanha) | bit.ly/30mwmOL

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

ARGENTINA/ Movimentos sociais na Argentina saltam das ruas para o governo. Organizações que representam os trabalhadores da economia informal aderem às estruturas políticas e sindicais No final de outubro, em ato organizado pela coalizão governista da Argentina, o peronismo dividiu as arquibancadas do estádio do clube esportivo Morón. Uma das arquibancadas mais importantes foi reservada para La Cámpora, o movimento juvenil de Kirchner. Outro para um grupo político local, ‘Nuevo Encuentro’, e o terceiro para movimentos sociais. A presença delas mostra o poder crescente de organizações que nasceram e se fortaleceram nas ruas, mas hoje fazem parte do Governo, do Congresso e também estão a um passo de entrar no maior sindicato do país. (El País, Espanha) | bit.ly/2YAnFPS

CUBA/ Cuba ameaça processar o Facebook por manipulação política. O chanceler cubano ameaçou na quarta-feira uma ação legal contra o Facebook, alegando que a rede social ignorou grupos que tentavam manipular a opinião pública na ilha. Bruno Rodriguez disse que a plataforma digital hospedou grupos de pessoas residentes fora de Cuba, especificamente nos Estados Unidos, que alteraram algoritmos e geomarcações para simular sua grande presença em Cuba para influenciar as opiniões e desestabilizar a sociedade cubana. O ministro acusou a empresa de mídia social com sede nos Estados Unidos de fomentar uma atmosfera de ódio, discriminação e intolerância racial que minou o direito da ilha caribenha à autodeterminação. (Global Times, China) | bit.ly/3HdqVCf

BOLÍVIA/ Luis Arce suspendeu viagem a Potosí devido à morte de um camponês no meio de uma greve. Os confrontos entre direita e setores ligados ao MAS aumentam a tensão no país. O presidente boliviano, Luis Arce, foi forçado a suspender uma visita programada à cidade de Potosí após a morte de um jovem camponês e vários feridos em meio a uma série de violentos protestos contra o governo. Na noite de terça-feira, foi relatada a morte de Basilio Titi Tipolo, de 22 anos. Os setores de direita articulados no comitê cívico aderiram à greve nacional por tempo indeterminado em repúdio à ‘Lei de Estratégia Nacional de Combate à Legitimização de Lucros Ilícitos e ao Financiamento do Terrorismo’, embora do partido no poder acreditem que pretendem apenas desestabilizar o governo. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3qpJFbO

ACORDO CLIMÁTICO/ Acordo EUA-China sobre emissões é bem recebido por figuras globais e especialistas em clima. Um acordo inesperado entre os EUA e a China para trabalharem juntos na redução das emissões foi amplamente saudado por líderes e especialistas em clima. A ONU e a União Europeia afirmam que o acordo pode ajudar a pavimentar o caminho para um avanço mais amplo, embora permaneçam as preocupações sobre "detalhes irregulares". Os dois maiores emissores do mundo pareceram colocar de lado suas diferenças na cúpula do clima Cop26 e na quarta-feira divulgaram uma declaração conjunta que veria uma cooperação estreita nas reduções de emissões que os cientistas dizem ser necessárias nos próximos 10 anos para ficar dentro de 1,5ºC. O acordo exige regulamentações “concretas e pragmáticas” na descarbonização, redução das emissões de metano e combate ao desmatamento, disse o enviado chinês para o clima, Xie Zhenhua, em Glasgow. (The Guardian, Inglaterra; The New York Times, EUA; Global Times, China) | bit.ly/3HaaiaH | bit.ly/31Ge7E7 | nyti.ms/3omt8CD | bit.ly/3HmWDgC

ALEMANHA/ A "pandemia dos não vacinados" coloca a Alemanha no máximo de infecções da Covid. A pandemia também ressurge fortemente na Europa Oriental. Os casos estão crescendo fortemente no país, com a vacinação mitigando o impacto do aumento nas internações e óbitos. A nova onda de coronavírus está levando a Alemanha a um novo recorde de casos desde o início da pandemia. O país quer aumentar a pressão sobre os que ainda se recusam a se vacinar contra a Covid-19, com vários estados federais contemplando ou impondo medidas para que apenas pessoas imunizadas tenham acesso a determinados locais públicos - medida adotada nesta semana na vizinha Áustria. "A pandemia está longe de terminar", disse o ministro da Saúde alemão em exercício, Jens Spahn. “Atualmente estamos enfrentando uma pandemia de não vacinados, que é maciça. Haveria menos pacientes com coronavírus nas unidades de terapia intensiva se mais pessoas se permitissem ser vacinadas”. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3wDo0hp

DESIGUALDADE/ O presidente mexicano pede aos bilionários e empresas mais ricos do mundo que paguem por um fundo de pobreza de US $ 1 trilhão. O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, pediu na terça-feira às 1.000 pessoas mais ricas do mundo e às 1.000 empresas privadas de maior valor que contribuam voluntariamente com 4% de suas fortunas anuais para um fundo de US $ 1 trilhão que, segundo ele, combateria a "marginalização e a miséria" e ajudaria a reverter um deslizamento global “da civilização para a barbárie”. Em um discurso perante o Conselho de Segurança das Nações Unidas, que o México preside este mês, López Obrador disse que o fundo seria usado para apoiar 750 milhões de pessoas que vivem com menos de US $ 2 por dia, ou aproximadamente a referência do Banco Mundial para “pobreza extrema” . (The Washington Post, EUA) | wapo.st/3omt8T9

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Gaspar Estrada – Brasil/eleições (RFI, França) | “Candidatura de Moro abalaria mais Bolsonaro do que Lula.” | bit.ly/3krtxmr

Blanco Milanovic – China/desigualdade (Social Europe, Europa) | “Xi Jinping pode derrotar as três persistentes desigualdades modernas?” | bit.ly/3oiA43J

Martin Wolff Capitalismo/democracia (Institute for New Economc Thinking, EUA) | “A crise do capitalismo democrático” | bit.ly/31TmYCD

Phillips, Sunkara, Shenker-Osorio e Green, Painel – EUA/Plano Biden (The Guardian, Inglaterra) | “Qual é a importância da conta de infraestrutura de Biden? Depois de meses de disputas e negociações, o projeto finalmente foi aprovado na semana passada. Então, quão grande é essa conquista?” | bit.ly/2YAnpAo

Andrew Roth – Polônia-Bielorússia/crise (The Guardian, Inglaterra) | “Crise na fronteira entre a Polônia e a Bielorrússia: o que está acontecendo e de quem é a culpa?” | bit.ly/3HcwXmJ

Daniel Menéndez, entrevista Argentina (El País, Espanha) | "O impacto da pandemia foi como quatro anos de governos neoliberais concentrados" | bit.ly/3kuSjBU

Fabio Vighi – Capitalismo/Finança (Sinistra in Rete, Itália) | “A Covid longa dos banqueiros centrais.As ovelhas têm medo do lobo por toda a vida, mas depois são comidas pelo pastor’” | bit.ly/3Haal6n

***

Venha participar da campanha nacional em defesa da Carta Maior





Conteúdo Relacionado