Clipping Internacional

Clipping Mundo - 14/09/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

14/09/2021 09:04

Lula e Lava Jato: Justiça arquiva investigação contra ex-presidente por tráfico de influência (Caio Rocha/Folhapress)

Créditos da foto: Lula e Lava Jato: Justiça arquiva investigação contra ex-presidente por tráfico de influência (Caio Rocha/Folhapress)

 

1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

LULA/ A Justiça brasileira arquiva mais outra investigação contra Lula por corrupção. Uma juíza brasileira arquivou mais uma investigação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por supostos crimes de corrupção e tráfico de influência. Os advogados afirmaram ter apresentado recurso para que este caso também seja arquivado, por considerarem que foi "construído" pelos promotores de Lava Jato com base em denúncias "infundadas" e "cientes de que Lula não praticou nenhum ato ilícito". Segundo a defesa de Lula, já foram arquivados 19 "processos de investigação" contra o líder do Partido dos Trabalhadores (PT) relacionados à Operação Lava Jato. O fato também abre o caminho para uma possível candidatura ainda mais antes das eleições presidenciais de outubro de 2022, para as quais as pesquisas de opinião o colocam como o principal favorito, à frente do presidente Jair Bolsonaro, seu maior adversário político. (El Diário, Espanha; Página 12, Argentina; Sputnik News, Rússia; El Mercurio, Chile; El Desconcierto, Chile; Últimas Notícias, Venezuela; Última Hora, Paraguai; Ahora el Pueblo, Bolívia) | bit.ly/2XfCaIp | bit.ly/3hxcmOD | bit.ly/3hvOGu0 | bit.ly/2YQ0hO5 | bit.ly/3hxZuYF | bit.ly/2XlA2P6 | bit.ly/3CeMVcP | bit.ly/3CddSh4

LULA/ Anunciada uma nova biografia de Lula, agora pelo escritor Fernando Morais. Ela será lançada no dia 16 de novembro, anunciou a editora Companhia das Letras. O primeiro dos dois volumes da biografia do líder socialista, de 416 páginas, começou a ser oferecido nesta segunda-feira na internet para os interessados em receber a edição digital no mesmo dia de seu lançamento, explicou o editor em nota. Embora existam outras biografias, autorizadas ou não, do primeiro presidente do Brasil de origem trabalhista, a obra que Morais começou a escrever em 2011 gerou grandes expectativas devido à proximidade e amizade do biógrafo com o líder político. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3EgwDBW

ESTADO POLICIAL/ Bolsonaro anuncia programa habitacional para policiais e seguranças. O presidente Jair Bolsonaro anunciou um programa de financiamento habitacional dirigido a policiais e agentes de segurança pública, sobre os quais disse que "todos os dias arriscam suas vidas" por toda a sociedade. O programa “Habite Seguro” será inicialmente dotado de 100 milhões de reais (cerca de 20 milhões de dólares), destinados a financiar imóveis de até 300.000 reais (cerca de 65.000 dólares), com juros e prazos preferenciais. Este programa se soma a outras iniciativas promovidas pelo Bolsonaro a favor da polícia, como a proposta de impedir que um agente que mata um criminoso no exercício de suas funções seja levado à justiça, mesmo que haja suspeita de ocorrência de abusos. (El Diário, Espanha) | bit.ly/2YLDVxa

MOURÃO-GOLPE/ Vice-presidente descarta colapso institucional no Brasil, apesar da retórica pesada. O vice-presidente general Hamilton Mourão descartou na segunda-feira a possibilidade de ruptura institucional ou golpe no maior país da América Latina, apesar da "retórica forte" do presidente, o líder de extrema direita Jair Bolsonaro. O líder da extrema direita brasileira liderou os protestos massivos em 7 de setembro em que seus seguidores vieram defender a dissolução do STF e do Parlamento por meio de uma "intervenção militar" com Bolsonaro no poder. “Nossas instituições são fortes, a democracia brasileira é forte, e isso não vai mudar por causa de alguns discursos de um lado ou do outro”, acrescentou o vice-presidente. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3EjDydq

MEIO AMBIENTE-ONU/ Alta comissária da ONU pede proteção de indígenas e ambientalistas do Brasil. A proteção do meio ambiente, de povos indígenas e ativistas é "o desafio mais importante para o exercício dos direitos humanos", afirmou a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet. Na abertura da 48ª sessão do Conselho de Direitos Humanos em Genebra, a ex-presidente chilena fez um apelo direto às autoridades brasileiras. "No Brasil, estou alarmada por ataques recentes contra membros dos povos Yanomami e Munduruku por mineiros ilegais na Amazônia", disse a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos. Segundo ela, a expansão de atividades do setor e "tentativas de legalizar a entrada de empresas em territórios indígenas" são motivo de forte preocupação no Conselho dos Direitos Humanos da ONU. (RFI, França) | bit.ly/3lkxTvb

TERCEIRA VIA/Financial Times escolhe: governador do Brasil abre caminho entre Bolsonaro e Lula nas eleições de 2022. Eduardo Leite, que se declarou gay em julho, apela para negócios com agenda econômica liberal. (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/3lpRb2a

FORA BOLSONARO/ Protestos no Brasil mostram baixo apoio de rua à pressão do impeachment. A participação nos protestos em todo o Brasil contra o presidente Jair Bolsonaro no domingo foi muito menor do que os comícios convocados pelo presidente no início desta semana. Muitos dos protestantes vestidos todos de branco, conforme instruções de grupos políticos que organizaram as manifestações em pelo menos 19 estados. Houve uma notável ausência de partidos políticos de esquerda, o que diminuiu a participação. O Partido dos Trabalhadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um dos partidos com maior capacidade de mobilizar protestos de rua, não participou das manifestações de domingo. A presidente do partido, Gleisi Hoffman, disse que não foi convidada a participar dos eventos, embora apoiasse a causa. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/2YLDW4c

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

MÉXICO-EXTREMA DIREITA/ Fanatismo religioso e cruzadas anticomunistas: quem é quem na extrema direita mexicana. Uma reunião, uma fotografia e a caixa de Pandora foram abertas. O líder do partido de extrema direita espanhola Vox, Santiago Abascal, desembarcou há dez dias na Cidade do México, onde se reuniu com senadores do Partido da Ação Nacional (PAN) e até dois políticos do Partido Revolucionário Institucional (PRI). Abascal chegou buscando a adesão à chamada Carta de Madrid, uma espécie de manifesto “em defesa da liberdade na Iberosfera”. Ou seja, o germe de uma guerra cultural, uma cruzada que pretendem travar na região despertando o espantalho de uma suposta ameaça comunista. Senadores do PAN e PRI apoiam a extrema direita Santiago Abascal em sua cruzada contra o comunismo. Mas, especialistas duvidam que a direita radical possa ter uma projeção eleitoral significativa, apesar da longa história de movimentos extremistas mexicanos. (El País, Espanha) | bit.ly/2YLDWkI

EUA-EXTREMA DIREITA/ Os EUA enfrentam "uma verdadeira batalha pela democracia" contra a extrema direita, diz Hillary Clinton. A ex-candidata presidencial disse que o motim no Capitólio foi um ‘ataque terrorista’ que mostra uma nova ‘ameaça interna’ e que os EUA ainda estavam em uma “batalha real por nossa democracia” contra as forças pró-Trump na extrema direita, buscando entrincheirar o governo das minorias e voltar no tempo nos direitos das mulheres. Disse ainda que “Agora estamos muito mais preocupados com as ameaças internas, e há quem diga que você não pode igualá-las, o fato de os aviões terem entrado no World Trade Center e a terrível perda de vidas”. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3ntUPLd

MEIO AMBIENTE-ASSASSINATOS/ Ativistas do clima estão sendo mortos por tentar salvar nosso planeta. No ano passado, houve um recorde de 227 assassinatos em todo o mundo. É nosso dever continuar resistindo às forças insaciáveis que levaram à sua morte. A cada ano, aprendemos mais sobre a crise climática. Os dados fluem: calor sempre crescente, desmatamento sem precedentes, precipitação recorde. E uma vez por ano, também aprendemos mais sobre o impacto humano da crise, à medida que dados são divulgados sobre os assassinatos de ativistas agrários e ambientais, as mesmas pessoas destacando e protestando contra o colapso de nosso clima. Conforme o relatório anual da Global Witness revela, em 2020, esse número aumentou para um recorde de 227 mortes em todo o mundo. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3htJk2k

ARGENTINA/ A derrota do peronismo nas primárias abre dois meses de incerteza política na Argentina. Os candidatos do governo chegam em desvantagem nas eleições legislativas de novembro. O kirchnerismo está dividido entre radicalizar ou renovar a gestão. O peronismo deve se recuperar de um tsunami. O governo de Alberto Fernández tem dois meses para tentar reverter no Legislativo os resultados das primárias obrigatórias e abertas realizadas no domingo, que previam que o partido no poder, caso o resultado se repita, perderá o controle do Senado e da primeira minoria em deputados. Os candidatos da Frente de Todos perderam em 18 dos 24 distritos do país, incluindo a província de Buenos Aires, reduto da vice-presidente Cristina Fernández de Kirchner. Em Presidente Fernández prometeu ouvir a mensagem das urnas e "corrigir erros", enquanto a coligação que o apoia debate agora entre radicalizar ou mudar de curso. (El País, Espanha) | bit.ly/3nvCYDr

COLÔMBIA/ Na Colômbia, a morte está no cotidiano de ativistas indígenas. Enquanto dava uma entrevista por celular, Celia Umenza Celia Umenza para repentinamente: uma detonação, rajadas de armas automáticas ecoam no fundo da montanha. Para as lideranças indígenas da Colômbia, que lutam pela defesa do meio ambiente e dos direitos de suas comunidades, o perigo é permanente. Pelo menos 227 ativistas ambientais foram mortos em todo o mundo em 2020: quase um terço deles (65) estavam na Colômbia, revelou a ONG Global Witness em seu relatório anual publicado na segunda-feira. De acordo com a Global Witness, 2020 foi o ano mais mortal para os conservacionistas no mundo desde 2012, quando a ONG começou sua contagem horrível. Esses ataques têm aumentado constantemente desde 2018. (Le Nouvel Observateur, França) | bit.ly/3EfvudR

PERU/ O cadáver de Abimael Guzmán entrou no cenário político. A família do líder do Sendero Luminoso quer que seu corpo seja entregue para o sepultamento, mas o estado e a classe política se opõem. Quando morreu, envelhecido e derrotado, Abimael Guzmán, o líder do grupo armado maoísta Sendero Luminoso, derrotado há mais de duas décadas, recuperou a vida como um fantasma perigoso por políticos, meios de comunicação e analistas. O cadáver de Guzmán, que desde 1992 era um prisioneiro condenado à prisão perpétua e que morreu no sábado aos 86 anos de pneumonia, tomou o centro da cena política. Tratada como se fosse um perigo para a segurança nacional, está em debate o destino que deveria ser dado ao corpo do falecido fundador do Sendero. A família e as autoridades disputam o corpo. A família quer que o corpo seja entregue ao sepultamento, mas o Estado e a classe política se opõem. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2YUMcPA

EUA-VACINA/A condenação ao mandato de vacina de Biden alimenta as preocupações de que outras vacinas passem a ser o alvo. As denúncias generalizadas dos republicanos sobre o plano do presidente Biden de forçar mais pessoas a se vacinarem contra o coronavírus estão levantando preocupações entre os especialistas em saúde pública de que essa crítica acalorada poderia ajudar a alimentar uma rejeição mais ampla de outras exigências de vacinas, incluindo aquelas postas em prática por escolas e militares, à medida que a questão das vacinas se torna cada vez mais política. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/2YLDW4c

HOLANDA-UBER/ Na Holanda, os motoristas do Uber terão direito a um contrato de trabalho. O Tribunal Distrital de Amsterdã decidiu na segunda-feira que "a relação jurídica entre o Uber e seus motoristas atende a todas as características de um contrato de trabalho". Para os tribunais holandeses, os motoristas VTC não podem ser considerados trabalhadores autônomos e, portanto, devem ser cobertos pelo acordo coletivo para motoristas de táxi. (l’Humanité, França) | bit.ly/2XfV5mt

NORUEGA/ A esquerda vence as eleições legislativas na Noruega. A oposição de esquerda liderada pelo Trabalhista Jonas Gahr Støre venceu uma eleição dominada pelo destino das atividades petrolíferas do país, encerrando oito anos de governo de direita. (Libération, França) | bit.ly/3hy0lst

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS/REPORTAGENS

Carlos Milani – Brasil (RFI, França) | “Baixa adesão no protesto de 12 de setembro contra Bolsonaro mostra ausência de Frente Democrática” | bit.ly/3lqKw7M

Gil Alessi – Brasil/Amazônia (El País, Espanha) | “A Amazônia em chamas: um raio-X de fogo e violência” | bit.ly/3EeZnLi

Sarah Shenker, reportagem – Brasil/Índios-Amazônia (Counterpunch, EUA) | “Uma jornada com a última sobrevivente de um massacre na Amazônia” | bit.ly/3C8utlY

Raúl Kollman – Argentina (Página 12, Argentina) | “Resultados das primárias (PASO) em 2021: pesquisas de opinião e as razões para o declínio do voto peronista” | bit.ly/2YM2fiq

Jorge Alemán – Argentina/extrema direita (Página 12, Argentina) | “Notas sobre a ultradireita liberal” | bit.ly/3hw5AJf

Sebastián Lacunza – Argentina/desigualdade (Página 12, Argentina) | “Argentina: dois anos depois, dívida, pobreza e 40% ainda estão ali” | bit.ly/3hwwv7E

Jonathan Weisman e Jim Tankersley – EUA/Desigualdade (The New York Times, EUA) | “O plano dos democratas da Câmara de tributar os ricos deixa as grandes fortunas intocadas” | nyti.ms/3hw5AZL

Chuck Collins e Sarah Anderson – EUA/desigualdade (Common Dreams, EUA) | “A proposta de imposto na Câmara pelos democratas não faz com que os bilionários paguem sua parte” | bit.ly/3nsSwbj

Adam Baczko e Gilles Dorronsoro – Afeganistão (Le Monde Diplomatique, França) | “Afeganistão: A fábrica de conflitos tribais” | bit.ly/3CduAwr

Leonardo Frieiro – Extrema direita (Jacobinlat, América Latina) | “O que fazer com a extrema direita? Quais estratégias têm se mostrado eficazes e quais não têm para enfrentar a extrema direita?” | bit.ly/3CddGhQ



Conteúdo Relacionado