Clipping Internacional

Clipping Mundo - 16/11/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

16/11/2021 09:14

(Paloma Varon/RFI)

Créditos da foto: (Paloma Varon/RFI)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

BOLSONARO-AMAZÔNIA/ Bolsonaro diz que Amazônia “por ser uma floresta úmida, não pega fogo”. O presidente brasileiro Jair Bolsonaro disse aos investidores árabes em Dubai nesta segunda-feira que a Amazônia não pega fogo por ser uma "floresta úmida" e os convidou a visitá-la já que os ataques sofridos pelo Brasil em relação a esse patrimônio "não são justos". Presidente brasileiro discursou para uma plateia de empresários e investidores no Dubai e garantiu que as críticas ao seu Governo sobre a desmatamento são injustas, porque “mais de 90%” está preservada e “exatamente igual” ao que era quando chegou Pedro Álvares Cabral. Porém, pelos dados coletados pelo Projeto de Monitoramento da Amazônia Andina (MAAP), responsável pelo monitoramento da cobertura florestal por meio de imagens de satélite, a maior floresta tropical do planeta perdeu cerca de 2,3 milhões de hectares com o desmatamento, o pior registro dos últimos 20 anos. E o prejuízo foi ainda maior para 2019, quando a Amazônia estava aos olhos do mundo por causa dos incêndios concentrados principalmente no Brasil, segundo o MAAP. (El Diário, Espanha; Público, Portugal; Correio da Manhã, Portugal; Soy Chile, Chile) | bit.ly/3kG4qfD | bit.ly/3FkUCiZ | bit.ly/3CxSu5X | bit.ly/3wPSkp7

AMAZÔNIA/ Aves amazônicas encolhem, mas crescem asas mais longas em sinal de aquecimento global. Algumas espécies no Brasil diminuíram quase 10% em 40 anos de medições, dizem pesquisadores. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3oBjMDg

A VIAGEM DE LULA À EUROPA: REPERCUSSÕES

LULA-ENTREVISTA À IMPRENSA/ Lula só decide em 2022 se será candidato a presidente do Brasil, mas que está pronto para voltar. O antigo presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva disse em Bruxelas, que "possivelmente em fevereiro ou março" decidirá, juntamente com o Partido dos Trabalhadores (PT), se será candidato nas eleições presidenciais de outubro de 2022. Durante a curta conferência de imprensa, Lula teceu duras críticas ao atual chefe de Estado, Jair Bolsonaro, que acusou de ser "uma peça importante na extrema-direita fascista" e "uma cópia mal feita de Trump", comentando a propósito que "se fosse uma cópia bem feita" do ex-presidente norte-americano, "já seria ruim". Lula da Silva iniciou na passada quinta-feira uma viagem pela Europa, que compreende passagens pela Alemanha, Bélgica, França e Espanha, e encontros com diversos líderes políticos e progressistas da região. Todas as sondagens de opinião divulgadas até agora colocam-no como o principal favorito dessas eleições, nas quais o atual chefe de Estado, Jair Bolsonaro, deverá aspirar à reeleição. (Diário de Notícias, Portugal; Jornal de Notícias, Portugal; Expresso, Portugal; Correio da Manhã, Portugal; RFI, França; La Jornada, México; diário Correo, Peru; Últimas Notícias, Venezuela; Euronews, Portugal) | bit.ly/3cmaZ2c | bit.ly/3ciUqVa | bit.ly/3oAwYsc | bit.ly/2YQni3Q | bit.ly/3Fg3mXy | bit.ly/3qIgJf6 | bit.ly/3nkBzz9 | bit.ly/3nkBA6b | bit.ly/3kJBl33 | bit.ly/3oArrSd

LULA-ZAPATERO/ Zapatero garante que "vamos ver Lula como presidente" no Brasil. O ex-presidente da Espanha, José Luís Rodríguez Zapatero, previu nesta segunda-feira que o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva retornará à presidência no Brasil após as eleições presidenciais que seu país realizará em 2022. "Presidente Lula (...) parece feliz. Vamos vê-lo como presidente", disse Zapatero, dirigindo-se ao líder brasileiro em ato no Parlamento Europeu sobre a América Latina promovido hoje pelos sociais-democratas europeus. Para Zapatero, “Lula é o grande professor da igualdade, é o professor da redução das desigualdades e, portanto, homens como Lula vão escrever o século 21, o século da igualdade”. Lula “pagou caro por seu compromisso com a justiça social”, continuou Zapatero, que garantiu ao ex-presidente brasileiro que “se ele não fosse um bravo metalúrgico, não teria tirado 30 milhões (de pessoas) da pobreza em seu país. colocar o Brasil na liderança mundial ”. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3cfc8bR

LULA/ Lula demanda em Bruxelas medidas contra a pobreza e que os ricos paguem impostos. “As políticas de inclusão social nunca foram aceitas pela elite brasileira”, critica o ex-presidente durante sua visita ao Parlamento Europeu. Ele ainda não é candidato à presidência do Brasil e, de fato, nega estar na campanha. Mas o ex-presidente brasileiro Luís Inácio Lula da Silva, líder nas pesquisas, aproveitou a visita à capital da comunidade para traçar uma proposta de eleição presidencial do gigante latino-americano no outono de 2022 ou, pelo menos, para ensaiar um slogan. "Queremos que os pobres estejam no orçamento e os ricos paguem impostos", declarou ele no Parlamento Europeu, em aparição conjunta com Iratxe García, presidente do grupo socialista europeu. Tampouco perdeu a oportunidade de atacar o atual presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. “Representa um pedaço da extrema direita fascista”, atacou sem panos quentes. Com um verbo muito enérgico, que foi presidente do Brasil entre 2003 e 2011 defendeu sua gestão. “Acabamos com a fome, a ONU reconheceu. Geramos 22 milhões de empregos”, disse recentemente o ex-presidente, 76 anos. A seguir dirigiu seus dardos novamente contra Bolsonaro: “A extrema direita não pensa no povo, no índio, no negro. Ele não sabe governar. Eles vendem, como estão fazendo com a Petrobras e querem fazer com os bancos públicos ”. (El País, Espanha) | bit.ly/3ciBiXa

LULA-PEDRO SANCHEZ/ Pedro Sánchez receberá Lula da Silva em Moncloa nesta sexta-feira. O presidente vai se encontrar com o líder do Partido dos Trabalhadores Brasileiros que, depois de sair da prisão e ver como estão sendo arquivados os processos contra ele, tem as urnas a seu favor para tirar do poder o Bolsonaro de extrema direita. O ex-presidente brasileiro é um símbolo da esquerda mundial. Sánchez o acompanhou em uma curta viagem pela América Latina que realizou como líder do PSOE na oposição em 2015 e destacou sua "boa política". “Ele optou por construir uma classe média forte no Brasil, com progresso inclusivo e uma economia justa”, disse. “Toda a presença do governo da Espanha no Brasil é pouca, precisamos de mais presença e de mais proximidade”, disse então o atual presidente, que vê na possível vitória de Lula uma oportunidade para melhorar as relações entre os dois países e aproveita a oportunidade dessa visita recebendo-o como Presidente do Governo. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3HuUQpy

LULA-OLAF SCHOLZ/ Em campanha internacional pela Europa, Lula encontra um futuro chanceler alemão Olaf Scholz.O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou em Berlim para o início de uma viagem por quatro países europeus. O Petista conheceu o alemão Olaf Scholz, vencedor das últimas eleições parlamentares alemãs. A virada do ex-presidente ainda antecipa uma participação em um evento no Parlamento Europeu, uma homenagem em Paris e nos reunimos com outras lideranças de peso não o cenário político do bloco. “Outro Brasil é possível. E vamos lembrar ou mundo disso ”. É como essas palavras que Lula resume nas redes sociais, chegar ou desembarcar em Berlim, ou apelido para suas viagens pela Europa. Na sequência, passou a ser ex-presidente do Parlamento Europeu, o alemão Martin Schulz, “Sou amigo dos mais difíceis horários, fico muito grato pelo fato de ter que ir ao Brasil ou me visitar quando Estou preso em Curitiba ”, lembrou Lula. (RFI /França) | bit.ly/325mBoN

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

AS ELEIÇÕES NA ARGENTINA

Le Monde, França | Na Argentina, coalizão governista perde espaço no parlamento. O partido do presidente de centro-esquerda Alberto Fernandez foi punido nas urnas dois anos antes da próxima eleição presidencial em outubro de 2023. As eleições legislativas parciais de domingo, 14 de novembro, confirmaram, em linhas gerais, a tendência anunciada pelas primárias de 12 de setembro: o partido Frente de Todos, do presidente peronista Alberto Fernandez, é precedido pelo centro-direita oposição na maioria das províncias. Enquanto sua coalizão de centro-esquerda inicialmente buscava avançar na câmara baixa do parlamento - onde estava em minoria - e manter a maioria no Senado, a eleição marca um retrocesso nas duas assembleias e, acima de tudo, uma perda de controle. do Senado. | bit.ly/3qEnsHd 7

La Diária, Uruguai | Vencedores derrotados e perdedores vitoriosos, um novo capítulo na política argentina. O kirchnerismo festeja apesar da derrota, recupera posições e prepara-se para governar na "normalidade"; as eleições complicaram os planos presidenciais de Larreta e favoreceram os de Bullrich. A leitura a olho nu não deve deixar margem para dúvidas. A frente de centro-esquerda governante ficou sem maioria absoluta no Senado e o mapa voltou a ser tingido de amarelo - a cor emblemática da coalizão de oposição - na região central do país, dos Andes ao Río de la Plata , as mais habitadas e com maior capacidade agroindustrial. Um revés de tal magnitude na câmara alta, onde a Frente de Todos continuará a ser a maior bancada, mas será obrigada a negociar, não estava nos cálculos de ninguém há quatro meses, quando começou o longo processo eleitoral com o registro de alianças. | bit.ly/3nke21l

The Guardian, Inglaterra | Extrema direita e extrema esquerda da Argentina obtêm grandes ganhos nas eleições para o Congresso. O partido governante peronista perdeu a maioria quando Javier Milei transformou a notoriedade em votos e um partido trotskista obteve a terceira maior parcela de votos. O sistema político da Argentina está se preparando para um terremoto depois que os partidos de extrema esquerda e direita obtiveram grandes ganhos nas eleições legislativas de meio de mandato no fim de semana, pondo fim às décadas em que os populistas e conservadores do país lutaram pelo poder. A votação de domingo viu a coalizão Frente Peronista para Todos do presidente Alberto Fernández perder sua maioria no Congresso pela primeira vez em quase 40 anos e perder seu reduto da província de Buenos Aires para a coalizão de centro-direita Juntos pela Mudança. Nacionalmente, o trotskista Frente de Esquerda dos Trabalhadores (FIT) ganhou a terceira maior parcela dos votos, mas foi a ascensão repentina do partido libertário de extrema direita ‘Liberdade avança” que dominou a cobertura local dos resultados. | bit.ly/3oxEXX1

Página 12, Argentina | Uma mobilização e um discurso para iniciar a segunda etapa do governo. Governo, CGT e movimentos sociais convocam marcha à Plaza de Mayo. Depois de semanas de tensão e esgotamento para todos os que fazem parte da aliança governante, nesta segunda-feira após a eleição, a Casa Rosada viveu um clima de alívio e descompressão. “Foram dois anos de pau após pau, de administrar em crise em meio à pandemia, de tensões internas ... a sensação é que descomprimiu. Mesmo que não fosse vencido, a diferença poderia ser encurtada e isso foi muito importante para nós ”, asseguram do Governo e salientam que“ o resultado dá-nos um panorama que nos permite fazer uma base política e económica para continuar a trabalhar nas pendências ”. “A militância possibilitou a retomada eleitoral e por isso ligamos para comemorar na quarta-feira”, garantem perto de Fernández sobre o acontecimento. | bit.ly/3wR0IEG

OUTRAS NOTÍCIAS INTERNACIONAIS

GUERRA FRIA/ Cúpula virtual Biden-Xi: líderes alertam uns aos outros sobre o futuro de Taiwan. O presidente da China disse ao homólogo dos EUA que apoiar a independência de Taiwan é "como brincar com fogo" durante a discussão mais substancial desde que Biden assumiu o cargo. Xi Jinping alertou Joe Biden em uma cúpula virtual que a China estava preparada para tomar "medidas decisivas" se Taiwan fizer qualquer movimento em direção à independência que cruze as linhas vermelhas de Pequim. Em resposta, Biden disse que os EUA continuam comprometidos com a política de uma China que reconhece apenas um estado chinês soberano, e que Washington “se opõe fortemente aos esforços unilaterais para mudar o status quo ou minar a paz e a estabilidade em todo o Estreito de Taiwan”. A frase foi um lembrete para os taiwaneses não declararem independência, mas também para a China não contemplar a invasão. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3CqfXWh

CHILE/ Candidatos realizaram seu último debate antes das eleições de domingo. Sem grandes surpresas, os dirigentes presidenciais mostraram seus programas que vão desde a extrema direita encarnada por José Antonio Kast até o progressismo do jovem Gabriel Boric, calmo e capaz de articular acordos. O melhor expoente desse estilo particular de fazer política foi José Antonio Kast, do conglomerado de extrema direita Partido Republicano-Frente Social Cristã e que, segundo pesquisas deslegitimadas - sem conseguir acertar as últimas eleições - seria a primeira maioria nessas eleições. (Página 12, Argentina; El Desconcierto, Chile) | bit.ly/3ckh9A9 | bit.ly/3nkh3yy

EUROPA-PANDEMIA/ Europa endurece regras para não vacinados quando a quarta onda de Covid cresce. A Áustria adotou a linha mais dura até agora na segunda-feira, iniciando um bloqueio voltado exclusivamente para aqueles que não são vacinados, parte de um padrão que torna a vida mais difícil para os resistentes. À medida que as temperaturas caem e as infecções por coronavírus aumentam em toda a Europa, alguns países estão introduzindo restrições cada vez mais direcionadas contra os não vacinados, que estão causando outra onda de contágio e colocando em risco a recuperação econômica, a saúde pública e um eventual retorno às liberdades prepandêmicas.(The New York Times, EUA) | nyti.ms/3CnIImu

CUBA 1/ O governo cubano descreveu o pedido de 15-N como uma "operação fracassada". Fora da ilha houve protestos em Miami, Santo Domingo e Madrid. O chanceler cubano Bruno Rodríguez disse que a manifestação convocada pela oposição foi uma "operação fracassada" e considerou que o dia foi bastante "festivo" com o retorno do turismo internacional e das crianças às escolas. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3cfc9MX

CUBA 2/ Mobilizações em apoio ao governo cubano. O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, assistiu ontem a um concerto com os jovens dos Lenços Vermelhos, que desde a última sexta-feira realizam uma manifestação anti-imperialista no Parque Central desta capital, num momento em que o Governo dos Estados Unidos Ele pediu às autoridades cubanas que permitam protestos da oposição "sem medo de represálias ou violência". As mobilizações aconteceram na Havana Velha e em outros pontos da capital, antes do protesto que hoje os dissidentes pretendem realizar, apesar de não terem autorização oficial, e em uma convocação incentivada dos Estados Unidos, documentada pelo Governo cubano nas últimas semanas. (La Jornada, México) | bit.ly/3qPVw2S | bit.ly/3kHTZIu

PERU/ Keiko Fujimori acusada de receber propina em um novo esquema de corrupção. A ex-presidente aparece nomeada no enredo ‘Los Colllos Blancos del Puerto’, no qual ela teria protegido uma empresa de pesca, em troca de financiamento para suas campanhas. A "contribuição" chegaria a US $ 20 milhões. A denúncia vem de um efetivo colaborador do Ministério Público, que estimou em até 20 milhões de dólares as doações desta empresa para as campanhas presidenciais da FP de 2006 à última em 2021, na qual Fujimori voltou a perder, desta vez para o agora presidente, Pedro Castillo. (El Desconcierto, Chile) | bit.ly/3kEQVwA

EUA/BIDEN/ Joe Biden assina sua grande lei de infraestrutura. O presidente americano apreciou um esclarecimento fugaz na segunda-feira ao assinar a lei que destina 1.200 bilhões à infraestrutura envelhecida do país. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/3cjrzji

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Gilmar Mendes – Brasil/Lava Jato (Sputnik News, Rússia) | “Moro e Dallagnol atuavam sob a toga com vestes partidárias” | bit.ly/3FkJZN9

Mario Wainfeld – Argentina/eleições (Página 12, Argentina) | “A mensagem dupla das urnas” | bit.ly/3cjAX6O

Jorge Alemán - Argentina/eleições (Página 12, Argentina) | “Nota sobre o 14 de novembro na Argentina” | bit.ly/3ovXUZX

Robert Mur – Argentina/Extrema direita (La Vanguardia, Espanha) | “O anarcocapitalista argentino. O excêntrico economista ultraliberal Javier Milei se prepara para instalar a extrema direita no Congresso argentino após as eleições legislativas de amanhã” | bit.ly/30pYBvy

Benjamim Norton – Nicarágua/eleições (The Grayzone, EUA) | “Desmascarando mitos sobre as eleições na Nicarágua, atacadas pelos EUA, UE e OEA” | bit.ly/30zo8CX

Vadim Kamenka – Julian Assange (L’Humanité, França) | “Liberdade de expressão. ‘Julian Assange não é um criminoso nem uma ameaça’." | bit.ly/3cdQqoS

David Adler e Guillaume Long – América Latina/democracia (The Guardian, Inglaterra) | “Precisamos de um novo observatório da democracia nas Américas. A Organização dos Estados Americanos não tem mais credibilidade.” | bit.ly/3qPVyI2

Jean-Louis Rocca – China/Partido Comunista (Le Monde Diplomatique, França) | “De Mao Zedong a Xi Jinping, um partido de renovação nacional. O centenário de uma organização com 92 milhões de membros.” | bit.ly/2UhJGjQ

Jake Bernstein – Capitalismo/Paraísos fiscais (The New York Review of Books, EUA) | “Lacunas tributárias dos paraísos fiscais para os cleptocratas” | bit.ly/30x8CHL

Danny Russel – Guerra Fria/EUA-China (Foreign Affairs, EUA) | “Quando Biden encontra Xi. A diplomacia não pode reparar o relacionamento, mas ainda pode prevenir desastres” | fam.ag/3DnZq6P



Conteúdo Relacionado