Clipping Internacional

Clipping Mundo - 24/06/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

24/06/2021 09:08

O Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro manteve a decisão que declarou o ex-juiz Sergio Moro parcial ao condenar o antigo presidente Lula da Silva no caso do apartamento tríplex do Guarujá (Fabrice Coffrini/AFP)

Créditos da foto: O Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro manteve a decisão que declarou o ex-juiz Sergio Moro parcial ao condenar o antigo presidente Lula da Silva no caso do apartamento tríplex do Guarujá (Fabrice Coffrini/AFP)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

LULA/ O STF confirma que julgamento do ex-presidente não foi "imparcial". O Supremo Tribunal Federal encerrou nesta quarta-feira processo no qual foi reafirmado que o ex-juiz Sergio Moro não agiu com a devida "imparcialidade" em um dos processos a que foi submetido o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão, tomada por sete votos a quatro, ratifica uma decisão da Segunda Sala do Supremo Tribunal Federal, que já havia se pronunciado sobre as suspeitas de que Moro, que posteriormente foi Ministro da Justiça no governo de Jair Bolsonaro, não teria agido com “imparcialidade” em julgamento contra Lula. A decisão se limita a uma ação judicial sobre um apartamento em uma praia que Lula teria recebido como suborno por supostos "favores" a algumas empresas privadas em contratos com órgãos públicos. Por esse e por outro julgamento conduzido na época por Moro, o ex-presidente foi condenado a quase 26 anos de prisão e passou 580 dias atrás das grades. Porém, em decisão anterior, adotada em abril passado, o próprio STF anulou esses dois julgamentos e outros dois em que não houve condenação, após reconhecer que um conflito de poderes deveria ter impedido Moro de dirigir esses processos. (El Diário, Espanha; Sputnik News, Rússia; Jornal de Notícias, Portugal; La Jornada, México; Diario correo, Peru; El País, Uruguai) | bit.ly/3daargM | bit.ly/3da86SW | bit.ly/3gYmOhi | bit.ly/3gZGFN4 | bit.ly/3wTDXPQ

RICARDO SALLES/ Ministro do Meio Ambiente renuncia em meio a inquérito sobre extração ilegal de madeira na Amazônia. A saída foi aplaudida por ativistas ambientais. O ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, um dos membros do gabinete de Jair Bolsonaro mais questionados por cargos aparentemente contrários à preservação do meio ambiente e que está sendo investigado por corrupção, anunciou sua renúncia. Um ministro da Suprema Corte autorizou a investigação de Ricardo Salles depois que batidas da Polícia Federal visaram o ministro e outras autoridades que teriam permitido a exportação ilegal de madeira. Salles, que Bolsonaro defendeu repetidamente apesar das críticas de grupos ambientalistas e até de aliados políticos por suas posições polêmicas, renunciou no momento em que o Supremo Tribunal Federal o investigou por supostamente favorecer um grupo madeireiro após uma operação contra a exploração madeireira na Amazônia. O Greenpeace qualificou a renúncia de Salles de "necessária", mas acrescentou que não acredita que ela trará uma mudança na política do governo de extrema direita de Bolsonaro que continuará degradando o meio ambiente e desrespeitando os direitos dos povos indígenas da Amazônia (El Diário, Espanha; The Guardian, Inglaterra; Página 12, Argentina; La Stampa, Itália; The Washington Post, EUA; Sputnik News, Rússia; El Periodico, Espanha; El País, Espanha; The Wall Street Journal, EUA; Les Echos, França; La Croix, França; Le Figaro, França; Deutsche Welle, Alemanha; The Independent, Inglaterra; El Mercurio, Chile; Al Jazeera, Catar; Euronews, Portugal) | bit.ly/3gZDp48 | bit.ly/3da88Ky | on.ft.com/2Uq9BWI | bit.ly/3da8914 | bit.ly/3da89hA | wapo.st/2T1rpaq | bit.ly/35OQMiu | bit.ly/35M6LOg | bit.ly/3j6OhzN | on.wsj.com/2TXa16L | bit.ly/3d9j7nL | bit.ly/3gZDhBG | bit.ly/3qlv27p | bit.ly/3ja7SiA | bit.ly/35M0oKO | bit.ly/3wV8WLt | bit.ly/3xPkLml | bit.ly/35MdLeb

ÍNDIOS/ Polícia brasileira usa gás lacrimogêneo e balas de borracha contra manifestantes indígenas. A polícia de choque disparou gás lacrimogêneo e balas de borracha contra ativistas indígenas que protestavam fora do Congresso do Brasil contra a nova legislação que minaria as proteções legais para os territórios indígenas e os abriria para a agricultura comercial e a mineração. Grossas nuvens de gás lacrimogêneo envolveram os manifestantes, incluindo crianças e idosos, enquanto a polícia tentava limpar o acampamento em Brasília na terça-feira, onde protestaram nas últimas duas semanas. O projeto de lei, conhecido como PL 490/2007, está em discussão desde 2007, quando foi proposto pelo poderoso lobby da agricultura brasileira, mas recebeu novo ímpeto sob o governo do presidente Jair Bolsonaro, que repetidamente pediu regulamentações mais flexíveis no Brasil Amazonas. “O projeto de lei pode ferir os povos indígenas até a morte”, disse a congressista e líder indígena Joenia Wapichana. (The Guardian, Inglaterra; The Independent, Inglaterra; Telesur, Venezuela; Diario Correo, Peru) | bit.ly/2TZDRYi | bit.ly/2SVIYJ4 | bit.ly/3wTc0aF | bit.ly/3zSCOtC

CPI DA COVID -1/ CPI da Covid no Brasil investiga negociação por vacina indiana. A comissão do Senado brasileiro que investiga possíveis omissões do governo diante da pandemia do coronavírus reafirmou que vai analisar negociações "suspeitas" para a aquisição da vacina indiana Covaxin. O próprio presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, participou da negociação e intercedeu junto ao primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, para acelerar as negociações. O acordo para a compra de 20 milhões de doses desse antígeno produzido pelo laboratório Bharat Biotech foi assinado no dia 25 de fevereiro pelo valor de 1.600 milhões de reais (320 milhões de dólares), o maior valor pago até agora pelo governo brasileiro. O senador Randolfe Rodrigues, vice-presidente da comissão, apresentou nesta quarta-feira uma série de documentos já veiculados pela imprensa local, que revelam possíveis "irregularidades" no negócio, o que já suscitou suspeitas no Ministério Público. (El Diário, Espanha; La Diária, Uruguai; The Washington Post, EUA) | bit.ly/3gUrohM | bit.ly/2Uuyqkl | wapo.st/3qludv8

CPI DA COVID -2/ Google, Twitter e Facebook devem explicar as postagens permitidas do Bolsonaro. Os representantes das principais empresas de tecnologia do mundo terão que dar explicações no Senado brasileiro sobre por que não bloquearam conteúdo do presidente Jair Bolsonaro contrário às medidas de saúde para conter a pandemia Covid-19. O objetivo é questionar essas empresas por que permitiram a divulgação de conteúdo contrário às evidências científicas e às medidas sanitárias divulgadas pelo presidente Bolsonaro. (Últimas Notícias, Venezuela; El Telégrafo, Equador) | bit.ly/2SsfMZU | bit.ly/3A4Tdvk

MEIO AMBIENTE/ Quatro partidos políticos pedem ao STF que ordene ações para prevenir incêndios no Pantanal brasileiro. Eles pedem que se ordene um plano de contingência ao Governo de Jair Bolsonaro para evitar os incêndios no Pantanal, uma catástrofe que no ano passado destruiu 26% da maior zona húmida do planeta. A extrema seca que o bioma sofreu em 2020, aliada às queimadas causadas principalmente por fazendeiros que buscavam preparar a terra para novas lavouras, causou um dos piores incêndios de sua história, causando uma tragédia ambiental da qual o Pantanal ainda não acabou. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3x6FJxj

COVID-19/ Novo recorde de infecções no Brasil: 115.228 casos de coronavírus em 24 horas. A Covid-19 continua a atingir o país. No mesmo dia em que uma nova variante do coronavírus (P5) foi detectada, foi registrado o maior número de infecções desde o início da pandemia. Um recorde lamentável: 115.228 novos casos de coronavírus foram detectados no país nas últimas 24 horas, o maior número desde o início da pandemia. 2.392 mortes pelo vírus também foram confirmadas. Os números confirmam uma aceleração da curva epidemiológica nas últimas semanas e coincidem com as projeções de especialistas de que o país pode estar à beira de uma terceira onda da pandemia, agravada com a chegada do inverno. Com esses números, o país governado por Jair Bolsonaro acumula 18.169.881 infecções e 507.109 mortes desde a detecção do primeiro caso, em março de 2020 (Página 12, Argentina; La Presse, Canadá; Xihuanet, China; El Clarín, Argentina; La Jornada, México; Euronews, Portugal) | bit.ly/3j822OT | bit.ly/3wV6O6q | bit.ly/3vQG31p | bit.ly/3ja7SiA | bit.ly/3xOBFBI | bit.ly/3gZQfPN | bit.ly/3vSvWJM

VACINA JANSEN/ Atualizações da Covid-19: EUA devem enviar ao Brasil 3 milhões de doses de vacina da J&J. A remessa faz parte da promessa do presidente Biden de enviar 80 milhões de doses de vacinas ao exterior até o final do mês. A Casa Branca disse na quarta-feira que os Estados Unidos enviariam três milhões de doses da vacina da Johnson & Johnson para o Brasil na quinta-feira. Os casos de vírus e mortes no país estão aumentando novamente, com um número de mortes acima de 500.000. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/3zTrgWZ

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

CUBA/ Na ONU, a condenação ao embargo dos Estados Unidos venceu por 184 votos a dois. Novo sucesso diplomático de Cuba em relação ao bloqueio norte-americano. O maior triunfo de Cuba foi a abstenção do Brasil - Bolsonaro acompanhou Trump em 2019 -, assim como a Colômbia e a Ucrânia. Israel votou novamente com os EUA. São trinta anos, vinte e nove vitórias diplomáticas consecutivas para Cuba - com a única interrupção em 2020 por causa da pandemia - e tudo, invariavelmente, sempre acontece no mesmo cenário: as Nações Unidas. Um espaço onde os Estados Unidos sofrem derrota após derrota devido à persistência em ignorar uma resolução contra o bloqueio da ilha que, em 3 de fevereiro de 2022, completará seis décadas. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3qluVJ1 | bit.ly/3qnXGES

EUA-BIG TECHS/ Pressão do Google, Facebook e outras big techs não detêm as medidas antitruste que avançam no comitê da Câmara. As empresas de tecnologia devem levar a batalha sobre as novas regulamentações propostas e supervisão para o plenário da Câmara e o Senado. Um comitê da Câmara aprovou uma legislação de longo alcance para conter o domínio do mercado de gigantes da tecnologia, incluindo o Google e o Facebook Inc. da Alphabet Inc., mas muitos dos esforços enfrentaram um lobby intensivo das empresas afetadas, o que retardou o trabalho do comitê e prenunciou uma batalha campal no Senado. (The Wall Street Journal, EUA) | on.wsj.com/3xGuX0u

ESPANHA/ Perdoados, separatistas catalães são libertados da prisão. Os nove separatistas catalães perdoados na terça-feira pelo governo espanhol foram libertados da prisão na quarta-feira depois de mais de três anos atrás das grades, uma libertação que pretendia "virar a página" da tentativa de secessão de 2017. (Le Parisien, França) | bit.ly/3jauDmO

CHILE-AUSTRÁLIA/ Tribunal australiano aprova extradição para o Chile da ex-agente da DINA Adriana Rivas. A mulher de 68 anos, que trabalhava como secretária de Manuel Contreras, é acusada de participar do desaparecimento de sete pessoas na década de 1970. Um tribunal australiano decidiu nesta quinta-feira a favor da extradição para o Chile de Adriana Rivas, uma suposta ex-agente da Dina durante a ditadura de Augusto Pinochet, acusada do desaparecimento de sete pessoas na década de 1970, incluindo uma grávida. O juiz também ordenou na audiência de quinta-feira que Rivas pague as custas judiciais do Estado chileno, que representou o Chile para solicitar extradição. (El Mercurio, Chile) | bit.ly/3j99eKx

PERU/ Tribunal eleitoral começa a rejeitar as queixas de Fujimori. O Júri Nacional Eleitoral (JNE) do Peru começou nesta quarta-feira a rejeitar definitivamente por falta de provas as denúncias de suposta fraude eleitoral feitas por Keiko Fujimori para anular milhares de votos e evitar sua terceira derrota consecutiva em uma eleição presidencial. (Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/2U3zM5e

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Lula, entrevista – Brasil (Telesur, Venezuela) | “Minha causa é devolver ao Brasil sua soberania” | bit.ly/3vSf1Hb

Bruno Meyerfeld – Brasil (Le Monde, França) | “No Brasil, desfecho incerto diante do duelo entre Bolsonaro e Lula na eleição presidencial de 2022” | bit.ly/2U0GVTU

David Biller e Tatiana Pollastri – Brasil/Índios (The Sydney Morning Herald, Austrália) | “Os ‘irmãos indígenas’ de Bolsonaro vão à capital para reivindicar direitos de terra” | bit.ly/3jahHNK

Robert Reich – EUA/desigualdade (The Guardian, Inglaterra) | “A economia americana é perigosamente frágil. A concentração de riqueza é a culpada” | bit.ly/3gPklH1

Zania Stamataki – Coronavírus (The Guardian, Inglaterra) | “As vacinas não são ‘bala de prata’. A ainda teremos que tomar precauções” | bit.ly/2SqKdQ8

Diego Motta – Peru (Jacobinlat, América Latina) | “Peru: o longo caminho para a dignidade” | bit.ly/3d7skNu

Jonathan Fuentes – Peru (Jacobinlat, América Latina) | “Peru: assedio da ultradireita à vitória popular” | bit.ly/3gQdZqH



Conteúdo Relacionado