Clipping Internacional

Clipping Mundo - 25/06/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

25/06/2021 09:17

(AFP)

Créditos da foto: (AFP)

 
e1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

LULA/ Ministro do STF anula todas as ações judiciais do ex-juiz Moro contra Lula. Um magistrado do STF anulou nesta quinta-feira dois novos processos que haviam sido movidos contra Luiz Inácio Lula da Silva pelo ex-juiz Sérgio Moro, que já havia sido declarado "tendencioso" no caso que havia ganhado o primeiro presidente 19 meses de prisão. A decisão invalida todos os elementos coletados por Sergio Moro e zera os procedimentos, afastando a possibilidade de uma condenação relativamente rápida em segunda instância que impeça Lula, de 75 anos, de concorrer às eleições presidenciais de novembro de 2022. Gilmar Mendes entendeu que havia "identidade fática e jurídica" entre o caso para o qual o Sr. Moro havia sido declarado "tendencioso" e os dois outros que passaram para as mãos da figura de proa da operação anticorrupção Lava Jato. (Le Nouvel Observateur, França; Jornal de Notícias, Portugal; La Diária, Uruguai; L’Humanité, França; Tribune de Genève, Suíça; Libération, França; La Jornada, México; Telesur, Venezuela; Tiempo Argentino, Argentina) | bit.ly/3dbPJNu | bit.ly/3gYmOhi | bit.ly/3vQVSFn | bit.ly/35R2nO3 | bit.ly/2T8lpg7 | bit.ly/2T96zWx | bit.ly/35YwuTz | bit.ly/3qseZEY | bit.ly/3x0QBNb

BOLSONARO/ A desaprovação do governo Bolsonaro salta de 39% para 50% em quatro meses. Perguntados se aprovam a forma de Bolsonaro governar, 66 % disseram desaprovar. Segundo levantamento do instituto Ipec, enquanto o índice de rejeição do governo subiu onze pontos percentuais em quatro meses, o índice de aprovação caiu cinco, de 28% em fevereiro para 23% em junho. A forte deterioração da imagem do líder de extrema direita coincidiu com a chegada de uma segunda onda da pandemia no Brasil, muito mais virulenta e mortal que a primeira, que fez com que o país acumulasse atualmente cerca de 508.000 mortes por covid-19 e quase 18,2 milhões de infecções. O salto na impopularidade do chefe de estado também coincidiu com o andamento dos trabalhos da comissão do Senado que investiga possíveis falhas e omissões na gestão governamental da pandemia. (El Diário, Espanha; Última Hora, Paraguai) | bit.ly/3xRTzDp | bit.ly/3xTZb08

PANDEMIA/ Brasil passa de 500 mil mortes por covid, uma tragédia sem nenhum sinal de acabar. Com 2,7% da população mundial, o Brasil sofreu 13% das fatalidades da Covid-19 e a pandemia não está diminuindo. O presidente Jair Bolsonaro liderou uma resposta notavelmente apática, desdenhosa e caótica a uma crise do coronavírus que deixou o Brasil mais pobre, mais desigual e cada vez mais polarizado. As medidas de distanciamento social foram irregulares e mal aplicadas, o presidente e seus aliados promoveram tratamentos ineficazes e durante meses o governo não conseguiu adquirir um grande número de vacinas. “Como brasileiro, é terrível ver o retrocesso após três décadas de conquistas na área da saúde acontecendo tão rapidamente, com consequências devastadoras”, disse Marcia Castro, presidente do Departamento de Saúde Global e População da Universidade de Harvard. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/3xXdKQD

GENOCÍDIO/ Investigação do Brasil sobre o desastre de Covid sugere que Bolsonaro cometeu "crimes contra a vida". Uma investigação do Congresso sobre a resposta desastrosa do Brasil à pandemia do coronavírus encontrou evidências crescentes de que o governo de Jair Bolsonaro cometeu "crimes contra a vida”. A investigação está se aprofundando nas decisões políticas que levaram a um dos momentos mais cruéis da história do país. “O mais chocante é a constatação de quão negligente o governo tem sido - em tantas questões”, disse o presidente da CPI, senador Omar Aziz. Testemunhos de funcionários e documentos recém-revelados estão dando aos brasileiros uma visão mais clara do contexto em que o governo rejeitou ofertas de compra de vacinas em 2020 e não respondeu rapidamente quando o suprimento de oxigênio acabou em Manaus, deixando os pacientes da Covid sufocados. O inquérito também descobriu evidências sugerindo irregularidades na aquisição da vacina indiana Covaxin. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/2Uyjvpj

BOLSONARO/ diz que não há denúncias de corrupção em seu governo. Apenas um dia após a renúncia do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que está sendo investigado em dois casos, e em meio às repercussões que os supostos atos ilícitos geraram no processo de compra da vacina indiana Covaxin, o presidente Jair Bolsonaro reiterou nesta quinta-feira que "não há uma única acusação de corrupção" contra seu governo. Salles está sendo investigado em dois casos pelo Supremo Tribunal Federal por suspeita de favorecer grupos que faziam extração ilegal de madeira na Amazônia e também a exportação ilegal de madeira para os Estados Unidos enquanto a compra de vacinas indianas está sendo investigada pela CPI da Covid. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/35Q8n9A

BOLSONARISTA/ Um deputado bolsonarista que defende uma nova ditadura volta à prisão. O deputado brasileiro Daniel Silveira, de grupos de extrema direita que apoiam o presidente Jair Bolsonaro, voltou à prisão nesta quinta-feira por decisão do STF, que o investiga por seus constantes ataques ao regime democrático. Ele violou seguidamente a necessidade de permanecer em casa, de modo que o magistrado Alexandre de Moraes, responsável por seu caso no STF, ordenou que fosse novamente preso por "insucesso para cumprir as decisões judiciais ”. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3A0euGv

AGRONEGÓCIO/Em Ribeirão Preto, agronegócio ainda rola para Jair Bolsonaro. A maior região açucareira do mundo, no Estado de São Paulo, está satisfeita com as medidas do presidente brasileiro: desmantelamento de órgãos de proteção ambiental, aprovação de novos agrotóxicos, créditos maciços ou flexibilização do porte de armas, defesa da propriedade privada contra camponeses sem terra. (Le Monde, França) | bit.ly/3xSmojk

COVID-19/ O Brasil registra uma média recorde de infecções por Covid-19. O Brasil, um dos países mais atingidos pela pandemia no mundo, registrou 73.602 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, com os quais o número total de infectados ultrapassou 18,2 milhões e a média de infecções em sete dias foi de 77.265 por dia, um novo recorde. O número médio de infecções não foi tão alto desde os 77.129 casos diários medidos em 27 de março, quando o país passou pelo pico da segunda onda da pandemia, que foi muito mais virulenta e mortal que a primeira. O salto no número médio de casos, de 32,7% ante a média de duas semanas atrás (58.214 infecções em 10 de junho), confirma as projeções de especialistas de que o Brasil começa a sofrer uma terceira onda da pandemia. O descontrole da pandemia agravou a deterioração da popularidade do presidente brasileiro, o líder de extrema direita Jair Bolsonaro, um dos líderes mais negativistas sobre a severidade do Covid-19. (El diário, Espanha; RFI, França; Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/3xSIAK5 | bit.ly/35QBkCn | bit.ly/3gUWXrJ

SECA/ O Brasil enfrenta a pior seca das últimas décadas: fenômeno coloca em xeque sua matriz energética. A escassez de água concentra-se nas regiões sudeste e centro-oeste do país, responsáveis pela geração de cerca de 70% da energia consumida no país. (El Mercúrio, Chile) | bit.ly/2SsrBzh

RICARDO SALLES/ Ministro do Meio Ambiente renuncia em meio a investigação de corrupção. O controverso ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, anunciou sua renúncia na quarta-feira, pouco mais de um mês depois que a Suprema Corte ordenou uma investigação sobre as alegações de que ele estava envolvido em um esquema de tráfico de madeira. Salles, uma das figuras mais polêmicas no governo de extrema direita do presidente Jair Bolsonaro, presidiu uma onda de desmatamento na floresta amazônica e grandes cortes nos programas de proteção ambiental desde que assumiu o cargo em janeiro de 2019. (Global Times, China) | bit.ly/3A0emqv

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

PANDEMIA-URUGUAI/ Uruguai acusado de desperdiçar o sucesso inicial da Covid em meio a um aumento mortal. O País tem maior taxa de mortalidade na América Latina depois que governo de centro-direita abandonou restrições sociais. Segundo especialistas, a situação é fruto de uma decisão do governo de Luis Lacalle Pou de abandonar uma bem-sucedida política de restrições sociais em favor de um regime muito mais permissivo que, ao invés, se baseou quase exclusivamente na vacinação. O resultado foi um surto que viu o país registrar casos de quase um em cada 100 cidadãos e uma taxa de mortalidade de 50 por dia - e continua em níveis elevados. Isso representou a quinta maior taxa de mortalidade do mundo, com 20,64 por 100.000 pessoas em duas semanas - bem como a mais alta da América Latina. A causa, dizem os especialistas, tem sido uma combinação de fatores, do excesso de confiança aos recentes erros políticos em torno da vacinação, bem como a proximidade do país com o Brasil, que viu o desenvolvimento de uma variante mais contagiosa. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3xPRQi4

PANDEMIA-CHILE/ Por que o Chile não consegue controlar o vírus apesar da vacinação: tédio da população, não cumprimento das medidas e uma vacina chinesa menos eficaz. Há um certo ar de desânimo no Chile, uma espécie de desânimo causado pela sensação de que, apesar do avanço na campanha de vacinação, o país não encontra a fórmula para controlar a terceira onda da pandemia. Apesar de 50% da população estar totalmente vacinada, os casos e internações continuam aumentando. O governo está avaliando uma terceira dose da vacina por temor de que o Sinovac não proteja o suficiente. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3vT0Stb

PANDEMIA-ISRAEL/ Israel retoma a exigência de máscara interna após aumento nos casos da Covid. O aumento de infecções é um golpe para um país que se orgulha de uma das implementações de vacinas mais bem-sucedidas do mundo. A exigência veio após quatro dias de mais de 100 novos casos por dia, com 227 casos confirmados na quinta-feira. O ministério da saúde de Israel impôs novamente a exigência de uso de máscaras em locais públicos fechados, após um aumento nos casos de Covid desde que foi retirado há 10 dias. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3zXA5z4

PERU/ Uma chicana Fujimorista atrasa a proclamação de Pedro Castillo presidente. Um membro do Júri Eleitoral Nacional renunciou. Fujimori e seus aliados agora afirmam desconhecer a legitimidade do corpo eleitoral e anunciaram que não respeitarão sua decisão se ela não os favorecer. A direita chutou o conselho de legalidade eleitoral e está dobrando sua oferta de golpe que visa anular as eleições que perdeu. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3xSeDtv

CUBA/ ONU volta a exigir fim do bloqueio a Cuba. Apenas EUA e Israel votaram contra. O bloqueio norte-americano a Cuba existe há 59 anos. O governo cubano defende que este já custou 138 mil milhões de dólares à economia do país. O Bloco saúda a decisão, considerando o bloqueio “uma forma de agressão ao povo cubano” e uma “inequívoca tentativa de ingerência nas escolhas soberanas do país”. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/3dwBUK3

EUA/ Biden, senadores concordam com plano de infraestrutura de aproximadamente US $ 1 trilhão. Plano garante acordo bipartidário sobre a revisão da infraestrutura de transporte, água e banda larga do país. (The Wall Street Journal, EUA) | on.wsj.com/3xTMzGo

CANADÁ/751 corpos encontrados enterrados em escola indígena católica no Canadá. A escola funcionou de 1899 a 1997 em Saskatchewan. Os líderes indígenas dizem que esperam encontrar ainda mais corpos em outros lugares. Líderes de grupos indígenas no Canadá disseram na quinta-feira que os investigadores encontraram 751 túmulos não marcados no local de uma antiga escola residencial para crianças indígenas - uma descoberta que segue o relatório do mês passado de 215 em outra escola. “Este foi um crime contra a humanidade, um ataque às Primeiras Nações”, disse o Chefe Bobby Cameron da Federação das Primeiras Nações Indígenas Soberanas em Saskatchewan. Ele disse que espera que mais túmulos sejam encontrados em terrenos de escolas residenciais em todo o Canadá. (HuffPost, EUA) | bit.ly/3wYnVUK

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Terence McCoy – Brasil (The Washington Post, EUA) | “O pior dos dois mundos. Bolsonaro disse que sua resposta direta à pandemia protegeria os pobres do Brasil. Mas eles acabaram sofrendo mais.” | wapo.st/3jaC9hd

Jeanne Casez, reportagem – Brasil (Libération, França) | “No Rio, as crianças das favelas nas garras da violência” | bit.ly/365U417

David Gillborn – EUA/racismo (The Guardian, Inglaterra) | “Como o fraco resultado na classe trabalhadora branca tem sido usado para demonizar o anti-racismo” | bit.ly/3xUVnMe

Federico Galende – Chile (Página 12, Argentina) | “O outro Chile” | bit.ly/33YBgzu

Eduardo Febbro – Guerra Fria/EUA-China (Página 12, Argentina) | “O antagonismo dos EUA com a China é a chave do quadrilátero mundial” | bit.ly/2U2xljw

Paul Krugman - EUA/economia (The New York Times, EUA) | “A economia num país pós-verdade” | nyti.ms/3qooYuG

Diego García-Sayan – Peru (El País, Espanha) | “Brincando com fogo. O processo de confronto promovido por quem não quer aceitar os resultados eleitorais aponta para uma polarização transversal na sociedade.” | bit.ly/3wVTrmr

Jon Martín Cullell – América Latina/desigualdade (El País, Espanha) | “A crise expulsa quase cinco milhões de pessoas da classe média latino-americana” | bit.ly/3wXW1sa

Ricardo Arcos-Palma – Colômbia (L’Humanité, França) | "A Colômbia é uma narcodemocracia apoiada pelo paramilitarismo" | bit.ly/3gScSqH

Céline Braconnier e Jean-Yves Dormagen – França/eleição (Le Monde Diplomatique, França) | “Novo recorde. Quase 67% dos eleitores se abstiveram no primeiro turno das eleições regionais na França. O que significa se abster.” | bit.ly/3gXlD2S

Amy Goodman e Denis Moynihan – Vacina/desigualdade (Democracy Now, EUA) | “Vacina Apartheid e a variante delta” | bit.ly/2SXtmVt

Max Blumenthal e Ben Norton – Nicarágua (The Grayzone, EUA) | “Como a mídia financiada pelos EUA incitou um golpe na Nicarágua” | bit.ly/3dga4Bp



Conteúdo Relacionado