Clipping Internacional

Clipping Mundo - 25/07/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil e as manifestações; Notícias do Mundo; e Artigos

25/07/2021 14:14

(Ricardo Moraes/Reuters)

Créditos da foto: (Ricardo Moraes/Reuters)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

AS MANIFESTAÇÕES ‘FORA BOLSONARO’

THE GUARDIAN, INGLATERRA | Manifestantes brasileiros pedem impeachment de Jair Bolsonaro. Os manifestantes saíram às ruas de várias cidades brasileiras no sábado para exigir o impeachment de Jair Bolsonaro, o presidente de extrema direita do país, cuja popularidade caiu nas últimas semanas em meio a escândalos de corrupção no contexto da pandemia. Mais de 500.000 brasileiros morreram de Covid-19 sob a liderança de Bolsonaro. Ele tem sido amplamente criticado por descartar a gravidade da doença e se opor a máscaras e medidas de distanciamento social. Bolsonaro agora está sendo investigado no Senado, que sonda a possibilidade de corrupção ligada à compra de uma vacina contra o coronavírus indiano. | bit.ly/3eX4xR0

EL DIÁRIO, ESPANHA | O Brasil volta em massa às ruas para exigir a saída de Bolsonaro. Milhares de pessoas foram às ruas no Brasil neste sábado para exigir a demissão de Jair Bolsonaro por sua gestão em face da pandemia do coronavírus no quarto protesto, em menos de dois meses, em que o país se levanta maciçamente contra o presidente negacionista. Em mais de 400 cidades do país, os manifestantes também pediram para acelerar o processo de vacinação e aumentar o valor da ajuda para que os mais pobres possam enfrentar a crise que veio com o vírus, que já deixa mais de 14,8 milhões de desempregados. As manifestações mais massivas ocorreram em São Paulo, a cidade mais populosa do país e mais atingida pela pandemia, Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte e também em Brasília, onde os protestos se concentraram em frente à sede do Congresso, para reforçar a pressão por um impeachment contra Bolsonaro. | bit.ly/3eUWtjQ

PÁGINA 12, ARGENTINA | Centenas de milhares de pessoas repudiaram Jair Bolsonaro em manifestações massivas nas principais cidades do país. Foi o quarto protesto sob o slogan "Fora com o Bolsonaro" desde 29 de maio. A resistência democrática mobilizou centenas de milhares de pessoas neste sábado no Brasil. de acordo com as primeiras estimativas da Central de Movimentos Populares. Cerca de 600 mil pessoas foram mobilizadas em mais de 500 cidades do Brasil e do exterior. Aos slogans pela saída do presidente de extrema direita e contra o "genocídio" que ele causou por sua indiferença à Covid-19 neste sábado, foram acrescentadas outras bandeiras, como o repúdio aos militares por sua participação orgânica no governo e o escândalo do ministro da Defesa general Walter Souza Braga Netto que, segundo o que surgiu na quinta-feira, teria "ameaçado" o chefe da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, de impedir as eleições de outubro de 2022. Ou seja, para dar um golpe. | bit.ly/3l89WJd

DIÁRIO DE NOTÍCIAS, PORTUGAL | Brasileiros voltam às ruas para pedir destituição de Bolsonaro. Até ao início da tarde, a imprensa noticiava, com imagens de avenidas cheias de manifestantes, protestos contra Bolsonaro em 20 estados, com críticas ao atraso da campanha de vacinação e ao disparo do desemprego e apelos pelo aumento do auxílio de emergência. Os manifestantes carregavam cartazes com dizeres como "Fora criminoso corrupto", "Ninguém aguenta mais" e "Fora Bolsonaro". Bolsonaro vive seu pior momento desde que chegou ao poder em 2019. A sua popularidade está no nível mais baixo, 24%, e as sondagens indicam que nas eleições do próximo ano seria derrotado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A oposição apresentou em junho um "superpedido de impeachment", que condensa uma centena de pedidos já apresentados anteriormente à Câmara dos Deputados com mais de 20 denúncias diferentes contra o presidente. Mas, por enquanto, Bolsonaro tem apoio suficiente no Congresso para bloquear essas iniciativas. | bit.ly/2WjiCSx

LE MONDE, FRANÇA | No Brasil, dezenas de milhares de manifestantes exigem o impeachment de Jair Bolsonaro. Pelo quarto fim de semana consecutivo, a esquerda convocou uma marcha contra a má gestão da pandemia pelo governo. Dezenas de milhares de brasileiros saíram às ruas no sábado, 24 de julho, exigindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro por lidar com a crise de saúde, já que o número de mortos na epidemia ultrapassa meio milhão. Os organizadores convocaram manifestações em todo o país "para defender a democracia, a vida dos brasileiros e colocar o Bolsonaro para fora". Os manifestantes marcharam pelo quarto fim de semana consecutivo a convocação de partidos e sindicatos de esquerda. | bit.ly/3ByJcY1

LA PRESSE, CANADÁ | bit.ly/3eVBnlh

Tribune de Genève, Suíça | bit.ly/2WkPn1G

Le Nouvel Observateur, França | bit.ly/3BDdWac

Euronews, Portugal | bit.ly/3kS5PRh

Expresso, Portugal | bit.ly/3BHDN0y

Al Jazeera, Catar | bit.ly/3BDOwsW

La Jornada, México | bit.ly/3rx31KJ

Telesur, Venezuela | bit.ly/3zzcrYR

El Mercúrio, Chile | bit.ly/2VdkHi5

bit.ly/3zyBXgJ

El Desconcierto, Chile | bit.ly/3rAYdUl

Últimas Notícias, Venezuela | bit.ly/3eU74eU

El País, Uruguai | bit.ly/3j25jxF

Última Hora, Paraguai | bit.ly/2WiKI0e

La Nación, Argentina | bit.ly/3i4SZNE

La Prensa, Honduras | bit.ly/2UDkvJn

Página Siete, Bolívia | bit.ly/3BDMvgv

OUTRAS NOTÍCIAS

LULA/"Bolsonaro é um presidente com comportamento genocida". O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva acusou no sábado o atual chefe de estado do Brasil, Jair Bolsonaro, de ter comportamento genocida e tendência a "fazer o mal". “O Bolsonaro não pensa em fazer o bem, apenas fazer o mal”, disse Lula em entrevista à rede France 24, na qual criticou a gestão do atual líder na crise da saúde, mas também na Amazônia. Acrescentou que “o Bolsonaro não lidou com a pandemia, não acreditou na ciência (...), não quis comprar vacinas quando havia, não incentivou o uso de máscaras ou a permanência em casa e evitar banhos em massa. Por isso digo que ele é o responsável por parte dos 540 mil brasileiros que morreram e pelo que considero um comportamento genocida”, denunciou. Lula disse estar convencido de que em algum momento o Bolsonaro vai pagar por sua irresponsabilidade e por não cuidar da saúde das pessoas. (El diário, Espanha; (Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/3eUn4xm | bit.ly/3eWzQvw

LULA/ Violência política bolsonarista cresce. Preocupação com a segurança de Lula. O governador do Maranhão, Flavio Dino, está preocupado com a segurança de Luiz Inácio Lula da Silva. A violência política cresce. Nos dias anteriores aos protestos de sábado, dois oponentes foram vítimas de atos de violência ou intimidação. Dino não é o único que fala sobre o assunto, sabe-se que o PT também pensa em reforçar medidas para garantir a integridade física do político. O nome de Lula foi entoado neste sábado por manifestantes mobilizados para exigir a saída de Jair Bolsonaro em centenas de cidades brasileiras. Favorito em todas as pesquisas, algumas das quais o apontam como vencedor no primeiro turno das eleições de 2022, o fundador do PT tornou-se uma obsessão do presidente que estaria instigando, explícita ou implicitamente, seus seguidores mais extremistas a perpetrar atos de violência política, diz Dino. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3x8J6md

EXTREMA DIREITA/ O filho de Bolsonaro anunciou uma aliança com a neta de um ministro de Hitler. Ela é uma líder do partido de extrema direita alemão AfD. O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, e sua colega Bia Kicis, chefe da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados do Brasil, reivindicaram um acordo com a Alternativa para a Alemanha (AfD), partido de extrema direita e islamofóbico alemão, durante visita a Brasília da vice-presidente das forças alemãs, neta de um ministro de Adolf Hitler. Ambos receberam Beatriz Von Storch, líder da AfD, o primeiro partido de extrema direita a ingressar no Parlamento Alemão (Bundestag) desde o fim da Segunda Guerra Mundial em 2017. A deputada é neta de Lutz Graf Schwerin von Krosigk, ministro da Fazenda da Alemanha nazista, mas essas referências foram ignoradas na publicidade do encontro com Eduardo Bolsonaro e Kicis, ambos da ala ideológica mais radical da extrema direita brasileira. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3x4O7fF

EVANGÉLICOS/ Sondagens mostram que o Presidente já perde para Lula entre os evangélicos. “Bolsonaro veio para roubar, matar e destruir”, dizem evangélicos progressistas em manifesto. Um coletivo de mais de 40 associações de igrejas evangélicas brasileiras emitiu um manifesto em que tecem duras críticas ao Presidente Jair Bolsonaro, que dizem estar no poder para “roubar, matar e destruir”. O apoio a Bolsonaro entre o eleitorado evangélico está a diminuir, mas o chefe de Estado mantém ao seu lado as denominações mais representativas. A gestão desastrosa da pandemia pelo Governo federal levou várias organizações de evangélicos progressistas a se unirem numa Coligação de Evangélicos contra Bolsonaro, que tem o objetivo de fazer oposição a partir de um sector social crucial para o Presidente. (Público, Portugal) | bit.ly/3rwFRnI

CLÃ BOLSONARO/ O filho de Bolsonaro recebeu representantes da extrema direita alemã. Referentes da extrema direita do Brasil e da Alemanha se reuniram para trabalhar juntos. “Recebi hoje a deputada Beatrix von Storch, do partido Alternativa para a Alemanha (AfD), o maior partido conservador do país. Conservadores de todo o mundo se uniram para defender os valores cristãos e a família ”, escreveu a deputada Bia Kicis, do Partido Social Liberal, pelo qual foi eleito o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Também um dos filhos do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro, compartilhou uma imagem do encontro. “Estamos unidos pelos ideais de defesa da família, proteção das fronteiras e da cultura nacional”, publicou. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3zvVJJO

VACINA COVAXIN/ Brasil suspende ensaios clínicos da vacina indiana Covaxin. A agência reguladora da saúde brasileira suspendeu os testes depois que o laboratório Bharat Biotech quebrou o acordo com seu representante no Brasil, Precisa Medicamentos, empresa que está sendo investigada em uma comissão parlamentar após denúncias de tentativa de superfaturamento. (Diário Correo, Peru; The Hindu, Índia) | bit.ly/3BOqA6z | bit.ly/3eX4FzY

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

PEGASUS/ O ex-primeiro-ministro italiano Prodi também está na lista de prováveis %u20B%u20Bespionados. O nome do ex-premiê italiano faz parte do grupo de mais de 10 mil contatos que teriam sido utilizados principalmente pela inteligência marroquina contra adversários e contra a rival Argélia. Entre eles também o atual presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, o presidente francês, Emmanuel Macron, o rei de Marrocos Mohammed VI e assessores do diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus. Entre os 50.000 alvos potenciais de toda a investigação, há também, além de Macron, dois outros presidentes em exercício: Barham Salih no Iraque e Cyril Ramaphosa na África do Sul. (La Stampa, Itália) | bit.ly/3BGMGru

EL Salvador/ A FMLN acusa o governo Bukele de deter oponentes para silenciar vozes críticas. A Promotoria de El Salvador ordenou a prisão do ex-presidente Sánchez Cerén. “O ex-presidente Salvador Sánchez Cerén é oficialmente um fugitivo da Justiça”, declarou o atual líder salvadorenho, Nayib Bukele, no Twitter. “A propósito, ele deixou nosso país via fronteira terrestre em dezembro de 2020 e nunca mais voltou”, acrescentou. O Ministério Público expediu um mandado de prisão contra Sánchez Cerén, integrante da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN), que se tornou o quarto ex-presidente de El Salvador exigido por crimes. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3kPay6e

PERU/ No seu primeiro discurso como presidente eleito, Pedro Castillo declarou: "o povo é o governo". “O povo é o governo. Essa luta não pode ser traída ”, exclamou o presidente eleito Pedro Castillo para uma multidão entusiasmada em um comício na noite de sexta-feira. Pouco antes, ele havia recebido formalmente das autoridades eleitorais suas credenciais de vencedor das eleições e presidente eleito. Na solenidade oficial e na manifestação popular, o professor rural e dirigente sindical insistiu em seus apelos “pela unidade mais ampla”. Apesar dos apelos à unidade, a direita derrotada nas urnas afia as armas contra o governo de esquerda que tomará posse nesta quarta-feira. Essa direita radical e golpista pretende assumir a presidência do Congresso, que será eleito nesta segunda-feira. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3zyC1Nv

BOLÍVIA/ Ex-chefe do Estado-Maior boliviano preso por assassinato de manifestantes em 2019. O ex-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas bolivianas, Pablo Arturo Guerra, foi preso ontem no contexto da investigação dos massacres de manifestantes em Sacaba e Senkata em 2019, quando foram reprimidos os protestos contra o governo golpista de Jeanine Añez. após a derrubada do presidente Evo Morales. A repressão aos protestos na crise pós-eleitoral de 2019 da Bolívia em Sacaba e Senkata deixou mais de 25 mortos e cem feridos. Peritos da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) viajaram ao país latino-americano para investigar as mortes nas cidades localizadas em Cochabamba e El Alto, respectivamente. Em relatório preliminar, a CIDH já qualificou a repressão nas duas cidades como "massacres". (La Jornada, México) | bit.ly/3fdji2z

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS/REPORTAGENS

Naiara Galarraga Gortázar – Brasil (El País, Espanha) | “Um candidato de Bolsonaro, rumo ao Supremo com toga e Bíblia” | bit.ly/3eV2JYW

Terrence McCoy e Gabriela Sá Pessoa, reportagem – Brasil (The Washington Post, EUA) | “Bolsonaro disse uma vez que encenaria um golpe militar. Agora, os brasileiros temem que ele possa estar lançando as bases para um.” | wapo.st/3eUsrN9

Eric Nepomuceno – Brasil (Página 12, Argentina) | “Brasil outra vez nas ruas contra Bolsonaro” | bit.ly/3iJoZWF

Louis A. Pérez Jr – Cuba (Jacobin, EUA) | “As muitas faces da mudança de regime em Cuba. Os cubanos enfrentam uma série de problemas em meio a uma emergência nacional de saúde - e o administrativo de Biden está apenas aumentando as sanções punitivas com a intenção de piorar tudo.” | bit.ly/3iPRMsV

Gianni Fresu – Cuba (Sinistra in Rete, Itália) | “Cuba e a guerra hegemônica do Ocidente contra ‘estados rebeldes’" | bit.ly/3y2XJc2

Jorge Alemán – Argentina (Página 12, Argentina) | “O lugar do ódio. Neoliberalismo e candidatos” | bit.ly/3kVJPF4

Christophe Deroubaix – EUA/ Biden (L’Humanité, França) | “Joe Biden, o fim do estado de graça” | bit.ly/3y8KSoT

Robert Reich – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Por que Joe Biden não está fazendo tudo o que pode para proteger a democracia estadunidense?” | bit.ly/2ULwuEG

Amanda Mars – EUA/racismo (El País, Espanha) | “A memória histórica abre uma guerra nas escolas da América. Estados republicanos impõem leis para proibir o que consideram um ensino que culpa os brancos e descreve o racismo como um problema sistêmico” | bit.ly/2Wkss6H



Conteúdo Relacionado