Economia Política

17 vencedores do Nobel de economia dizem não ao austericídio

 

27/09/2021 12:21

(Simela Pantzartzi/EPA)

Créditos da foto: (Simela Pantzartzi/EPA)

 
Em carta aberta à nação, economistas norte-americanos, laureados com o prêmio Nobel, saúdam a reversão de anos de desinvestimento em bens públicos. Saúdam investimentos essenciais em educação pública, em pesquisa e desenvolvimento, entre outros. Saúdam uma reforma fiscal que torne o sistema mais equitativo e com capacidade para financiar o investimento público.

Oxalá os economistas conservadores brasileiros reflitam sobre a carta aberta que se segue.

***

Carta aberta dos ganhadores do Prêmio Nobel em apoio à agenda de recuperação econômica

A economia norte-americana parece pronta para uma recuperação robusta, em parte devido às intervenções ativas do governo no último ano e meio, incluindo o Plano de Resgate do Presidente Biden. Porém, reverter anos de desinvestimento em bens públicos e atender às necessidades de longo prazo do país - incluindo a construção em direção ao crescimento sustentável e inclusivo e a facilitação de nossa transição para energia limpa - exigirá mais.

O sucesso no século 21 exigirá a construção do acordo bipartidário de infraestrutura aprovado pelo Senado, que prioriza os investimentos na infraestrutura “pesada” de nosso país. A agenda Build Back Better [Reconstruir Melhor] do presidente emprega uma concepção mais ampla de infraestrutura, fazendo investimentos essenciais em capital humano, economia de cuidado, pesquisa e desenvolvimento, educação pública e muito mais, o que reduzirá os custos das famílias.

Embora todos nós tenhamos opiniões diferentes sobre as particularidades de várias políticas econômicas, acreditamos que os principais componentes dessa agenda mais ampla são essenciais - incluindo reformas fiscais que tornem nosso sistema tributário mais equitativo e que permitam que nosso sistema arrecade os fundos adicionais necessários para facilitar o necessário investimentos públicos e atingir nossos objetivos coletivos. Como essa agenda investe na capacidade econômica de longo prazo e aumentará a capacidade de mais norte-americanos participarem produtivamente da economia, ela aliviará as pressões inflacionárias de longo prazo.

Assinado por 17 ganhadores do Prêmio Nobel de Ciências Econômicas:

- George A. Akerlof, professor, Universidade de Georgetown

- Sir Angus Deaton, Professor, Universidade de Princeton

- Peter Diamond, Professor, Instituto de Tecnologia de Massachusetts

- Robert Engle, Professor Emérito e Co-Diretor do Volatility and Risk Institute, Universidade de Nova York

- Oliver Hart, professor, Universidade de Harvard

- Daniel Kahneman, professor, Universidade de Princeton

- Eric S. Maskin, professor, Universidade de Harvard

- Daniel McFadden, professor, Universidade da Califórnia, Berkley

- Paul Milgrom, professor, Universidade de Stanford

- Roger Myerson, professor, Universidade de Chicago

- Edmund S. Phelps, professor e diretor do Center on Capitalism and Society, Columbia University

- Paul Romer, Professor, Universidade de Nova York

- William Sharpe, Professor Emérito, Universidade de Stanford

- Robert Shiller, professor, Universidade de Yale

- Christopher Sims, professor, Universidade de Princeton

- Robert Solow, Professor Emérito, Instituto de Tecnologia de Massachusetts

- Joseph Stiglitz, professor, Columbia University

*Publicado originalmente por Economic Policy Institute

Conteúdo Relacionado