O jornalismo de esquerda precisa de você. Venha ser parceiro Carta Maior. Doe agora!
Seja Parceiro Carta Maior

Multas de Wall Street reduzem 66% com a administração Trump

É de se perguntar quando os trabalhadores apoiadores de Trump irão começar a perceber essas coisas

08/08/2017 12:26

common dreams

Desde que tomou posse em Janeiro, o presidente Donald Trump escolher ex-banqueiros da Goldman Sachs para preencher posições chave dentro de sua administração. De acordo com uma análise do Wall Street Journal publicada no domingo, parece que as maiores instituições financeiras da nação estão se beneficiando por ter seus amigos no governo.

 

“Reguladores de Wall Street impuseram multas bem menores nos primeiros seis meses da presidência de Donald Trump do que durante os primeiros seis meses de 2016, um período comparável na administração Obama”, relatou o jornal.

 

Durante sua campanha para a presidência, Trump prometeu afrouxar as regulações dos grandes bancos desmantelando Dodd-Frank, que foi estabelecido seguindo a crise financeira de 2008.

 

Mas o relatório do jornal indica que o time de Trump descobriu outro jeito de pegar leve com Wall Street: não cobrando multas pesadas por transgressões.

 

Atribuindo a rápida redução nas multas à “uma mudança para uma posição amigável aos negócios pelas agências reguladoras”, o jornal nota que “multas impostas contra firmas e indivíduos pelas comissões de comércio de commodities, de segurança e câmbio e pela Autoridade Reguladora da Indústria Financeira na primeira metade de 2017 abaixaram quase dois terços em comparação com a primeira metade de 2016”.

 

Isso, adiciona o jornal, “estabelece o mais baixo nível anual de multas desde, ao menos, 2010”, e Wall Street continua a fazer lobby em favor de abaixar mais ainda esse nível.

 

Os críticos argumentaram que a decisão de Trump de preencher sua administração com banqueiros é evidência conclusiva de que sua retórica populista sempre foi uma farsa.

 

“Os banqueiros de Wall Street contra quem Trump concorreu agora estão fazendo políticas”, disse Robert Weissman, presidente do Public Citizen.

 

Em resposta à análise do jornal, Gary Rosen, editor do Journal's Weekend Review, salientou: “É de se perguntar quando os trabalhadores apoiadores de Trump irão começar a perceber essas coisas”.

 

Como já relatou o Common Dreams, a administração Trump tomou, nas últimas semanas, passos concretos em direção a aliviar Wall Street das restrições mais básicas e expor os consumidores a conseqüências potencialmente devastadoras. Relatórios recentes indicam que ele agora procura repelir a regra Volcker, que foi desenhada para prevenir comércios de risco e apostas.

 

A Sen. Elizabeth Warren (Democratas-Massachussets) argumentou que tais movimentos, se exitosos, tornaria “mais fácil para os grande bancos enganarem seus consumidores e incitarem um novo colapso financeiro”.

 



Créditos da foto: common dreams