Arte/Humor

Diário do Bolso, 16 de novembro de 2021

 

16/11/2021 10:19

(Reprodução/Facebook)

Créditos da foto: (Reprodução/Facebook)

 
Diário, estou aqui em Dubai, no Oriente Médio, um lugar super luxuoso. Se esse é o Médio, nem imagino como é o Oriente Máximo.

A Michelle veio junto. Agora estou chamando ela de Sucrilhos. Não pegou esssa? É que você não viu minha piscadinha de olho.

Hoje vamos pra Barrerem e depois para Dorra. Não sei se é assim que se escreve. Naquele primeiro lugar lá eu vou inaugurar uma embaixada e no outro, ver um estádio de futebol. Antes disso, em Dubai, fui no edifício mais alto do mundo, com mais de 160 andares, e no campeonato mundial de jiu-jitsu. Tudo coisa importante.

Em Dubai eu conversei com o Xeque. Perguntei se os irmãos dele se chamavam Pix e Ted, mas o tradutor deve ter errado em alguma coisa, porque ele não riu nem um pouco.

Eu tô aqui nas Arábias, mas com a cabeça lá, na reeleição. Adiei minha entrada no PL. Tenho mais umas exigências pra fazer. Eu não sou barato, não!

O PL quer fazer umas alianças com doristas e lulistas. Aí não pode, pô! Os caras são inimigos.

Também tenho que tomar conta da Executiva Nacional e dos diretórios estaduais. A janelinha é minha, talkei?

Também não pegou bem entre os meus eleitores eu ir pro PL, que todo mundo sabe que é cheio de fi... fisiologistas.

O bom de estar longe de casa é que eu posso mentir à vontade. Disse que 90% da Amazônia está preservada, igual que nem que quando o Cabral chegou aqui. E o Paulo Guedes falou que a gente vai crescer muito no ano que vem. Esse é o bordão dele, tipo “Tem pai que é cego”, “É mentira, Terta?” ou “Eu só abro a boca quando tenho certeza”.

Opa! Por que será que eu escolhi justo esses três? Ah, sei lá. Minha cabeça é um mistério até pra mim.

#diariodobolso



Conteúdo Relacionado