Arte/Humor

Diário do Bolso, 20 de janeiro de 2019

 

20/01/2019 18:28

 

 
Amigo Diário, neste fim de semana o Flavinho veio aqui conversar. Não vou lembrar de tudo, mas uma parte foi assim:

- Seja homem e pare de chorar!

- Desculpa, pai.

- Você imagina o que eu tô aguentando por tua causa? Hoje mesmo eu li no meu Face: “Vocês não são a favor da tortura? Tortura o Queiroz para ele falar a verdade”. Ou então: “Vocês não reclamavam que Cuba ficava com parte do salário dos médicos? Como é que o Flávio fica com os salários dos funcionários?”. É foda.

- Eu sei que eu errei, pai...

- Errou. E errou muito! Como é que você me dá uma dessas? Que decepção! Depósito em conta? Porra, põe o dinheiro na cueca, na meia, ou na mala, que nem o Geddel, mas não na conta.

- Pisei na bola...

- Na minha e na de todo mundo. Você vai ficar sozinho nessa. O Partido do Suco de Laranja já te abandonou.

- O PSL?

- Caraca, até eu já estou chamando o partido assim. Vamos ter que mudar de nome.

- A Globo está de marcação comigo, pai. É coisa pessoal. Nos últimos quatro anos o patrimônio do Eduardo aumentou 432% e ninguém fala nada.

- Não põe o Dudu o meio. Alguém pegou ele? Não. Então fica quieto. E vou te falar a mesma coisa que eu escrevi pro seu irmão: “Se você for preso, não vou te visitar na Papuda.”

- Nem no meu aniversário...?

- Nem. E a coisa só tá piorando. Antes era um milhão e duzentos. Agora já são sete! Vai esmerdear tudo!

- Sete milhões não é tanto assim. Vamos manter a história que ele ganhou isso vendendo carro.

- Porra, mas quem vai acreditar? Sete milhões em três anos, se cada carro custa uns vinte mil, quantos carros ele tem que ter vendido?

- Pô, pai, essa conta é difícil. Coisa de Enem. Tem calculadora aí?

- Deixa pra lá. Ninguém vai acreditar nisso! O negócio é que você botou um fuzil no meu cu e apertou o gatilho.

- Pai! Olha o palavreado.

- A gente conversa com o Olavo de Carvalho e fica falando essas baixarias. Mas não foge do assunto! Por sua causa tive que desmarcar a coletiva em Davos. Eu ia falar para o mundo inteiro e agora vou ter que ficar caladinho.

- O Moro não pode dar um jeito na coisa? Tem que despedir o comunista que vazou isso aí, pai.

- Se tem alguém que entende de vazamento é o Moro. Ele é melhor que encanador.

- Rarrarrá! Boa!

- Fecha o bico, palhaço! Só eu que posso dar risada aqui. E não vamos confiar muito no Moro, que o cara já deve estar arrependido. Aposto que tá pensando: “Pô, se eu tivesse ficado na minha, agora ia investigar os Bolsonaro e era eleito presidente em 2022.”

- O que a gente pode fazer, pai?

- Agora que o Fux parou a investigação, vamos aproveitar o tempo para descobrir o que eles sabem. Tem que ver isso daí. Depois, a saída é fazer aquela confusão com advogado, juiz, anular prova, o escambau.

- No final vai dar tudo certo, pai. Eu tenho certeza. Vamos fazer as pazes?

Aí ele me estendeu o dedinho, que nem fazia quando criança.

Eu respondi o que o Olavo de Carvalho responderia.

@DiariodoBolso

Conteúdo Relacionado