O jornalismo de esquerda precisa de você. Venha ser parceiro Carta Maior. Doe agora!
Seja Parceiro Carta Maior

Horror em Charlottesville: uma morte depois de carro invadir protesto anti-racismo

Racistas neonazistas fogem da cidade enquanto Charlottesville se levanta contra seu protesto racista e nazista

12/08/2017 21:33

common dreams

Em cena terrível em Charlottesville, na Virgínia, no Sábado, o motorista de um carro pareceu jogá-lo intencionalmente contra protestantes progressistas que marchavam contra uma manifestação neonazista e racista apoiada pela Klu Klux Klan que acontecia na cidade. De acordo com a Associated Press, ao menos uma pessoa morreu e aproximadamente 20 outros ficaram feridos no ataque.

 

Assista aos vídeos aqui (conteúdo gráfico): https://www.commondreams.org/news/2017/08/12/horror-charlottesville-one-dead-after-driver-plows-anti-racist-demo

 

O jornal local Daily Progress reportou que o prefeito da cidade, Mike Signer, confirmou que uma pessoa morreu. “Estou de coração partido que uma vida foi perdida aqui. Alerto todas as pessoas de bom coração: vão para casa”, declarou Signer. De acordo com a AP, o motorista suspeito está sob custódia.

 

Enquanto membros comunitários, lideres religiosos, e defensores do bem como operaram sem descanso, no Sábado, para confrontar as facções de supremacia branca que desceram para a cidade de Charlottesville essa semana, Virgínia suspendeu a manifestação legal e declarou estado de emergência em face aos confrontos violentos de antifascistas e neonazistas.

 

Pouco antes do meio-dia, o governador Democrata, Terry McAuliffe, declarou estado de emergência “para auxiliar na resposta do estado para com a violência da manifestação na cidade”.

 

Ao longo do dia, pareceu que muitas pessoas mais compareceram aos protestos de oposição – organizados por uma coalizão ampla para denunciar a reunião racista – e haviam membros de outras cidades pertencentes às facções racistas e reacionárias que compareceram na manifestação “Unir a Direita”.

 

Ao passo que os confrontos foram iniciando, a polícia declarou a manifestação de direita ilegítima e ordenou que as pessoas dispersassem.

 

Brandi Collins, diretora sênior de campanha do Justiça Econômica e Midiática no grupo de advocacia Coloro f Change (“Cor da Mudança”), culpou Donald Trump diretamente por essa demonstração explícita de racismo e discriminação que ocorreu na cidade.

 

“O ódio e a discriminação que Donald Trump inspirou estava explícito em Charlottesville ontem à noite e hoje”, disse Collins. “Racistas, liderados por tipos como David Duke, estão marchando para defender uma memória da Confederação, e sua missão de ódio e subjugação racial. Supremacistas brancos armados marchando com tochas pelas ruas mostraram o espectro muito real do terrorismo racial”.

 

“Enquanto isso, em uma série de tuítes na tarde de Sábado, o senador Bernie Sanders (Independente – Vermont) denunciou a manifestação de direita e a ideologia odiosa e racista dos participantes:

 

“A manifestação branca nacionalista em #Charlottesville é uma vitrine do racismo e do ódio que não tem lugar na nossa sociedade.”



Créditos da foto: common dreams