Pelo Mundo

A América Latina vai mudar

Boletim Semanal de Notícias da Carta Maior - De 29 de novembro a 5 de dezembro de 2021

06/12/2021 11:02

 




RENASCIMENTO HONDURENHO

Xiomara Castro é a primeira mulher a assumir a presidência

O povo hondurenho tomou as ruas na noite de domingo (28), comemorando a vitória da líder oposicionista Xiomara Castro, do Partido Liberdade e Refundação (Livre), que se converte na primeira presidente mulher do país centro americano.

Esposa do ex-presidente Manuel Zelaya (2006-2009), deposto por um golpe militar patrocinado pelos Estados Unidos, Xiomara se converteu numa referência aglutinadora das forças nacionais e democráticas, defensora de um novo modelo político, econômico e social que rompa com a submissão à oligarquia e às transnacionais.

A disputa para o Congresso de Honduras, de 128 membros - ainda que se encontre indefinida -, também garante um crescimento maiúsculo para o Partido Livre. Pelas projeções, está ampliando a bancada de 30 para 50 parlamentares. | bit.ly/3GlDJp8



HONDURAS RUMO AO FUTURO

Presidente eleita anuncia Assembleia Constituinte e programa de reconstrução nacional

Consagrada por ampla margem como nova presidente, Xiomara Castro de Zelaya afirmou que adotará uma agenda emergencial nos primeiros 100 dias de governo, a fim de reverter o quadro de descalabro deixado pelo antecessor Juan Orlando Hernandéz (JOH).

Conforme defendeu a presidente eleita, seu governo fortalecerá o protagonismo do Estado com uma política de taxação do setor financeiro para estimular o setor produtivo. “Vou reduzir o preço da eletricidade para que as empresas privadas, especialmente as micro, pequenas e médias empresas, sejam mais competitivas e os mais pobres não tenham que arcar com os custos da eletricidade”, comprometeu-se. O país tem dez milhões de habitantes e é o segundo mais pobre das Américas, atrás do Haiti.

Além da recuperação das estatais que prestam serviços à população, como as de energia, telecomunicações, água e esgotos, aeroportos e portos, Xiomara anunciou rodovias sem cobrança de pedágio. “Criarei a Secretaria de Planejamento Econômico e Desenvolvimento Social, para que o Estado hondurenho organize seus recursos em prol do desenvolvimento humano, abandonado pela aplicação do modelo neoliberal”, assinalou.

No campo democrático, afirmou que no primeiro dia de governo convocará uma Consulta Popular para a organização e eleição de uma Assembleia Nacional Constituinte, que vai elaborar uma nova Constituição. | bit.ly/3dnOmei



BOLÍVIA UNIDA

Marcha pela Pátria defende democracia, soberania e justiça social

“Há exigências para continuar avançando na construção do nosso Estado, na construção da economia para todas as casas das famílias bolivianas. Essa premissa essencial, irmãos e irmãs, é o que vocês demonstraram, nesta marcha, nesta concentração, e isso é a unidade do povo boliviano”, afirmou o presidente Luis Arce, diante de 1,5 milhão de pessoas, na segunda-feira (29), durante o encerramento da “Marcha pela Pátria”.

Conforme o presidente, a manifestação que percorreu o país durante sete dias desde Caracollo, em Oruro, e finalizou na praça San Francisco, da capital, La Paz, demonstrou que, quando o povo está unido, nada é obstáculo para aprofundar as transformações.

“Lucho, irmão, o povo está contigo”, entoou o ex-presidente Evo Morales, ao lado das centenas de milhares de manifestantes. “Quando a Pátria está em risco, o povo se levanta. Quando a democracia está em perigo, o povo digno se mobiliza. A oposição tem que saber que a rebeldia dos dignos está acima da direita vende-pátria”, enfatizou Evo.

A marcha contou com a participação de diplomatas, autoridades nacionais, militantes do Movimento Ao Socialismo (MAS), da Central Operária Boliviana, da Confederação Sindical Única de Trabalhadores Camponeses da Bolívia, congregando o apoio dos mais amplos setores da sociedade. | bit.ly/3rDUqrz



INVESTIMENTO BOLIVIANO

Presidente Arce inaugura centro de Ciência e Tecnologia para industrialização do lítio

O presidente Luis Arce inaugurou na quinta-feira (2) o Centro Boliviano de Pesquisa em Ciência e Tecnologia (C&T) de Materiais e Recursos Evaporitos - o maior da América Latina - localizado em La Palca, no município de Yocalla, em Potosí.

Com investimento inicial de US$ 14,3 milhões, a infraestrutura está construída em uma área de mais de 4.000 metros quadrados e possui 38 laboratórios especializados, bunkers de escalada e equipamentos de alta tecnologia que servirão para pesquisa, desenvolvimento e inovação de materiais catódicos, eletrólitos e elementos químicos para a industrialização do lítio e seus derivados.

“A primeira coisa que vamos fazer é desenvolver a ciência e a tecnologia boliviana para a exploração e industrialização do nosso lítio, o que beneficiará os próprios bolivianos”, afirmou o presidente, frisando que o lítio é um recurso natural riquíssimo, cujas maiores reservas do mundo se encontram nas regiões de Potosí e Oruro.

Arce recordou que, por interesses estrangeiros, nunca permitiram que os bolivianos desenvolvessem C&T próprias para explorar recursos naturais, mas que com a Constituição Política do Estado, em 2009, isso agora é possível, assim como os sucessivos avanços na área de hidrocarbonetos. | bit.ly/2ZZvakf



CUT CHILE

''Desarmar sindicatos foi essencial para impor o neoliberalismo''

Derrotar o representante do fascismo, José Antonio Kast, é primordial para recuperar direitos e reverter as consequências do nefasto modelo econômico que as grandes corporações e as transnacionais querem aprofundar, afirmou o secretário-geral da Central Unitária dos Trabalhadores do Chile (CUT), Eric Campos, defendendo o voto em uníssono na candidatura oposicionista à Presidência. “Com Gabriel Boric o sindicalismo terá muito mais espaço para se desenvolver e ampliar, potencializando sua capacidade política, social e mobilizadora”, assinalou.

Segundo Campos, que é também presidente da Federação Nacional dos Metroviários, o plano implantado pela ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) “foi o de promover o fracionamento do sindicalismo com a possibilidade jurídica de construir muitos sindicatos, promovendo a despolitização”.

O desafio do momento atual é reverter o quadro de dependência, sendo “fundamental implementar um plano de industrialização com forte incorporação do Estado” para gerar emprego e renda. Neste sentido, acrescentou, propomos “não somente a nacionalização e a estatização do cobre, mas também a dos recursos naturais, que agora tornaram-se fundamentais para as novas tecnologias, como o lítio e, também, o investimento na grande indústria de conhecimento”. “Porém isso não pode ser feito a partir da hegemonia e da dependência que temos das grandes corporações. Acredito que a soberania tecnológica deve ser defendida como um dos elementos fundamentais de um projeto de desenvolvimento nacional”, sublinhou. | bit.ly/3lB5m5C



URNAS CHILENAS

Pesquisas apontam vitória de Boric contra o candidato fascista

Dois institutos de pesquisa divulgaram no domingo (28) pesquisas sobre o segundo turno das eleições presidenciais do Chile, que serão realizadas em 19 de dezembro, com a liderança de Gabriel Boric sobre José Antonio Kast, mas com vantagens bem distintas.

Contabilizando apenas os votos válidos, a pesquisa Activa/Pulso Ciudadano mostra Gabriel Boric com 62% das intenções de voto contra o fascista Kast, ex-deputado federal, com minguados 38% da preferência. O candidato da ultradireita liderou o 1º turno com 27,9% dos votos, conseguindo 2,1% de vantagem na oportunidade.

Já a pesquisa do Black&White “transfere” 10 pontos percentuais de Boric para Kast, mostrando o nome progressista com 52% e o fascista com 48%. A vantagem cai de 24% para tão somente 4%. | bit.ly/3EvkYPs



ALERTA SOBRE O CHILE

Kast: mais reacionário, despótico e violento do que Pinochet

O escritor e professor de ciência política da Universidade de Buenos Aires, Atilio Borón alertou que “a estreita vitória de José Antonio Kast no primeiro turno das eleições presidenciais (à frente de Gabriel Boric em cerca de 150.000 votos, em um universo de 7 milhões) coloca o Chile à beira de um resultado sombrio”.

“Por trás deste Führer de opereta, orgulhoso de seus antepassados nazistas e admirador confesso de um tirano - e também ladrão - como Augusto Pinochet, agrupam-se em bandos os restos em decomposição da direita chilena tradicional. Seus pérfidos personagens, aninhados em vários partidos, que inicialmente o desprezavam e zombavam de suas tolices ridículas, exaltam-no agora como o messias destinado a salvar o Chile das garras dos vândalos da esquerda, ou dos alienígenas que a esposa do presidente Sebastián Piñera acreditou ter visto nas grandes jornadas de outubro de 2019”, declarou.

“Kast, como Jair Bolsonaro, Donald Trump e Santiago Abascal (o líder do Vox, com ardente nostalgia dos bons tempos de Francisco Franco e da Santa Inquisição na Espanha) são as excrescências expelidas pela sociedade capitalista uma vez iniciado seu ocaso irreversível”, condenou Atilio Borón. | bit.ly/3p9Gy5p



BARBADOS

Proclamada a República, ilha caribenha se liberta do colonialismo inglês

A ilha caribenha de Barbados – uma antiga colônia da Grã-Bretanha – dispensou a rainha Elizabeth como chefe de Estado, declarando a criação de uma nova república, na terça-feira (30), com seu primeiro presidente e cortando os últimos laços coloniais remanescentes quase 400 anos depois que os primeiros navios ingleses chegaram à ilha.

A nova república nasceu logo após o estandarte real da rainha Elizabeth ser baixado sobre uma lotada Heroes Square em Bridgetown.

Depois de uma exibição de dança e música nacional, com discursos celebrando o fim do colonialismo, Sandra Mason foi empossada como a primeira presidente de Barbados, com a votação afirmativa do parlamento. “Ponto final desta página colonial”, disse Winston Farrell, um poeta barbadense, na cerimônia.

O nascimento da república, 55 anos depois da declaração de independência de Barbados, desfaz os laços coloniais que mantinham a pequena ilha, ligada à Inglaterra desde que os ingleses se apossaram dela na época do rei Jaime I em 1625. | bit.ly/3GfoD4n



AMÉRICA LATINA E CARIBE

Região em que a fome mais cresceu no mundo, aponta a ONU

A fome na América Latina e no Caribe atingiu seu ponto mais alto desde 2000, com um aumento de 30% no número de pessoas entre 2019 e 2020, conforme relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado esta semana.

De acordo com o Panorama Regional de Segurança Alimentar e Nutricional 2021, em apenas um ano - e no contexto da Covid-19 - o número de famintos aumentou em 13,8 milhões, atingindo um total de 59,7 milhões de pessoas.

“Devemos dizer em alto e bom som: a América Latina e o Caribe enfrentam uma situação crítica em termos de segurança alimentar. Houve um aumento de quase 79% no número de pessoas com fome entre 2014 e 2020”, afirmou Julio Berdegué, representante Regional da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Quatro em cada dez pessoas na região - 267 milhões - sofreram de insegurança alimentar moderada ou grave em 2020, 60 milhões a mais do que em 2019, um aumento de 9%, o maior aumento em relação a outras regiões do mundo. | bit.ly/3dF7fKd



PARAGUAIOS PELA TERRA

Seminário debate modelo de agronegócios, direitos humanos e soberania alimentar

Com um apelo à defesa da vida perante o modelo de morte do agronegócio, terminou na quarta-feira (1) o Seminário Regional do Agronegócio, Direitos Humanos e Soberania Alimentar, organizado pela BASE-IS (Investigações Sociais) e as organizações da Via Campesina do Paraguai.

O evento debateu “o violento avanço do agronegócio no interior do Paraguai, os despejos, o uso de civis armados para atacar comunidades rurais, os envenenamentos massivos causados %u20B%u20Bpelo uso intensivo de agrotóxicos e o desmatamento acelerado das florestas remanescentes”.

“O agronegócio é um modelo de morte, envenena a terra, o ar, destrói a natureza, as florestas, ao mesmo tempo em que expulsa com violência as comunidades camponesas e indígenas”, destacaram as lideranças, ao descreverem o modelo do agronegócio da soja como ecocida, etnocida e genocida "porque acaba com a vida da natureza, a cultura dos povos ao despojá-los de seus territórios e a própria vida pela violência e pela exclusão".

Diante dessa realidade, cerca de uma centena de homens e mulheres de entidades camponesas e indígenas destacaram o papel da unidade e articulação de suas forças para promover a defesa e recuperação do seu território, expandindo a produção agroecológica e diversificada de alimentos saudáveis, visando a soberania alimentar e fortalecimento das raízes nos territórios, pois “esse é um modelo em que a vida pode se desenvolver com dignidade”. | bit.ly/3pzWZZf



HAITI DEVASTADO

42% da população necessita de ajuda alimentar, alerta a ONU

Dos 11 milhões de habitantes do Haiti, 4,4 milhões - o equivalente a 42% da população - precisam de ajuda alimentar, segundo as Nações Unidas. País mais pobre das Américas, o Haiti ocupou a 104ª posição entre 107, conforme o Índice Global de Fome.

Recente reportagem do jornal New York Times revelava a gravidade da situação. Sylvania Pierre, de 53 anos, cuida de três netos desnutridos e de sua mãe no hospital, denunciando que “os preços sobem como escadas”, dificultando que as famílias os acompanhem. “Estendendo a mão sobre a cama do hospital para endireitar o vestido da neta de um ano de idade”, Pierre relatou, "não temos dinheiro para comprar leite".

Do outro lado da sala, Desrosiers pousou a mão no filho recém-nascido em uma espécie de abraço, tentando abafar seu choro e acalmá-lo para dormir. “Espero”, disse Desrosiers, olhando para o filho, “que o futuro dele não seja como o meu”, relatou. | nyti.ms/32THcfU



EQUADOR REVOLTADO

Rejeição ao neoliberalismo de Lasso já beira os 70%

A pesquisa Perfis de Opinião aponta que 67,38% dos equatorianos descrevem a gestão do presidente neoliberal Guillermo Lasso como ruim ou muito ruim, após seis meses de seu mandato. Para 49,15%, a gestão foi ruim, enquanto 18,23% consideraram muito ruim a sua política governamental. Enquanto 28,35% têm uma percepção positiva, irrisórios 2,37% avaliam como muito boa.

Conforme levantamento da mesma empresa, o respaldo ao governo apresentou uma queda expressiva de 40% nos últimos quatro meses, pois eram 74% os equatorianos que viam a gestão como boa ou muito boa em julho, baixando para 64,03% em agosto e despencando a 34,01% em outubro.

A última pesquisa estampa a instabilidade política somada ao escândalo pela denúncia do envolvimento de Lasso nos Pandora Papers. | bit.ly/3oqS9xQ



URUGUAI MOBILIZADO

Movimentos populares pressionam para manter criminosos contra a humanidade na prisão

Os movimentos sociais e entidades populares voltaram a pressionar, na quarta-feira (10), para barrar uma iniciativa oficial de conceder prisão domiciliar a repressores da ditadura, encarcerados por graves crimes contra a humanidade.

A Associação de Mães e Familiares de Detidos Desaparecidos durante os anos de 1973 a 1985 liderou uma convocatória conjunta para marchar em 9 de dezembro em Montevidéu “pela verdade, memória e justiça”, exigindo respeito às vítimas de terrorismo de Estado.

O presidente da central sindical PIT-CNT, Marcelo Abdala, deixou claro que as organizações populares são contrárias ao projeto encaminhado pela coalizão do governo de direita, supostamente apresentado em benefício de presos que atingiram 65 anos de idade, mas que na realidade visa satisfazer a 20 ex-militares genocidas.

Para Graciela Montes de Oca, parente de uma das 197 vítimas desaparecidas, este é “um atentado à democracia porque visa especificamente aqueles que violaram os direitos humanos, torturaram e assassinaram”. | bit.ly/32Y8v8V



JUSTIÇA ARGENTINA

Macri é condenado por espionagem ilegal de parentes da tripulação do submarino naufragado

O juiz federal substituto de Dolores, Martín Bava, indiciou na quarta-feira (1) o ex-presidente argentino Mauricio Macri por espionagem ilegal contra os parentes da tripulação do submarino argentino Ara San Juan, que naufragou em 2017 durante seu governo.

Macri foi processado por realizar "ações de inteligência proibidas como autor, em virtude de ter possibilitado a produção de tarefas ilegais de inteligência, tendo gerado as condições para que dados de pessoas pudessem ser realizados, armazenados e utilizados", segundo a decisão de 174 páginas.

O pronunciamento da Justiça veio um mês depois que o juiz Bava começou a investigar o ex-presidente por autorizar a espionagem de familiares dos 44 marinheiros falecidos. Como parte do processo, o magistrado multou Macri em 100 milhões de pesos argentinos (cerca de US$ 1 milhão) e o proibiu de deixar o país, ao mesmo tempo que o ex-presidente não poderá se ausentar de sua residência habitual por mais de dez dias sem notificar o Tribunal.

No mesmo dia, como expoente do extremismo neoliberal, Macri esteve reunido com o presidente chileno Sebastián Piñera no Palácio de la Moneda, em Santiago. | bit.ly/3rEPp27



CANÇÃO CUBANA

Silvio Rodriguez completa 75 anos entoado por um povo e sua revolução

O músico, cantor e poeta cubano Silvio Rodriguez completou 75 anos em 28 de novembro, reverberando nos acordes de um povo e de sua revolução, comprometido até a medula em fazer da arte um instrumento de luta pela vida, pelo amor e a fraternidade.

O magistral autor de músicas incandescentes como Ojalá, Unicornio, Te Doy una Canción, Óleo de Mujer con Sombrero, Te Amaré, Fábula de los Tres Hermanos, Desnuda y con Sombrilla e Por Quien Merece Amor, sempre teve a paixão como mestre. E desde o início da carreira demonstra a compreensão da necessidade da unidade dos nossos países e povos, como fica claro na sua participação na Casa das Américas, no final dos anos 60.

A trajetória de Silvio é impregnada de compromisso, que deixa muito palpável diante do bárbaro assassinato de Ernesto Che Guevara na Bolívia, quando compõe “La era está pariendo um corazón” e “Fusil contra fusil” – [Se perdió el hombre de este siglo allí/Su nombre y apellido son/¡fusil contra fusil!/Se quebró la cáscara del viento al sur/Y sobre la primera cruz/Despierta la verdad”. Um percurso militante no seu apoio à Revolução Sandinista de 1979, como "Canción urgente para Nicaragua"; na denúncia dos assassinatos de José Martí, Giordano Bruno, Garcia Lorca, John Lennon, Martin Luther King, Salvador Allende e de tantos inocentes, em “Cita con Ángeles”, de 2003, [Septiembre aúlla todavia/ su doble saldo escalofriante/ todo sucede un mismo día gracias a un odio semejante/Y el mismo ángel que allá en Chile vio bombardear al presidente/ ve las dos torres con sus miles cayendo inolvidablemente], ou ainda na condenação à agressão dos EUA ao Iraque, com “Sinuhé” [Algo debiera embrujar los misiles/alguien debiera hacer estalar/el hongo de los derechos civiles/de los fantasmas que pueblan Bagdad], quando o despejo de bombas inicia em 20 de março de 2003 e Silvio tem a canção acabada em 12 de abril.

Recentemente a aparição de Silvio Rodríguez, acompanhado de sua filha Malva, como parte do espetáculo “Fidel, fala, preciso de você!”, na inauguração do Centro Fidel Castro Ruz, ganhou destaque ao citar seus versos da emblemática canção “Cuba va” [Puede que algún machete/Se enrede en la maleza/Puede que algunas noches/Las estrellas no quieran salir/Puede que con los brazos/Haya que abrir la selva/Pero a pesar de los pesares/Como sea Cuba va, Cuba va].

Segundo o jornal Granma, a participação de Silvio “simboliza a síntese de uma conceituação bem fundamentada dos princípios que nortearam o trabalho de sua vida como trovador”. | bit.ly/31zseeD

Conteúdo Relacionado