O jornalismo de esquerda precisa de você. Venha ser parceiro Carta Maior. Doe agora!
Seja Parceiro Carta Maior

O lucro contra sua saúde

Estatísticas mostram que mais de metade da população brasileira adulta está acima do peso recomendado. Na América Latina são mais de 140 milhões de obesos

09/08/2017 15:27

SXC/CreativeCommons

 
A obesidade é um dos principais problemas de saúde no século XXI. Estatísticas mostram que mais de metade da população brasileira adulta está acima do peso recomendado. Desta, quase 50% são considerados obesos. Na América Latina e Caribe são mais de 140 milhões de obesos. O alerta não se dá por questões estéticas, mas por saúde e qualidade de vida. O problema precisa da atenção e cuidados dos governos e das famílias.
 
Se há algumas décadas a fome e a desnutrição estavam entre os principais problemas do nosso país, hoje precisamos enfrentar o excesso do peso, um mal que tem forte raiz na alimentação pouco balanceada, em geral rica em carboidratos como pão, massas e alimentos que em geral contêm açúcar.
 
Fiz esta introdução para ressaltar mais uma irresponsabilidade do Congresso Nacional e do Governo Temer. Sem nenhum pudor, ambos aprovaram a liberação de medicamentos emagrecedores vetados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA e proibidos em vários países. Isso mesmo. O Congresso que derrubou a Presidenta Dilma Rousseff sem que ela tenha cometido crime, e que tem aprovado ataques aos direitos dos trabalhadores como a Reforma Trabalhista, mais uma vez atua contra a saúde da população.
 
Tais medicamentos, feitos à base de anfetaminas, estão proibidos no Brasil desde 2011, por conta dos riscos envolvidos no seu uso. Em Junho passado o Congresso ignorou o perigo e aprovou a Lei e Temer sancionou, liberando o que há poucos meses era proibido pela ANVISA. A agência, contudo, mantém a orientação pela proibição.
 
Qual interesse do Congresso e do Governo Temer na aprovação de tais medicamentos? Atender a Indústria Farmacêutica? Se os possíveis riscos para as pessoas são reconhecidos por todos, por que liberar tais substâncias?
 
O fato é que a Indústria farmacêutica ganha muito dinheiro com isso, apostando em medidas supostamente fáceis, mas de eficácia duvidosa. Ela, a Indústria, lucra muito e segue financiando campanhas de deputados que aprovam tais liberações, por isso tem preocupação zero com a saúde do povo. O que vale para eles são, unicamente, os interesses comerciais.
 
Como sabemos, perder peso não é fácil e exige esforço. Cuidados alimentares e bons hábitos físicos são o melhor caminho para vencer a obesidade. Pode ser mais lento do que desejamos, mas, certamente não nos traz riscos à saúde e nos põem verdadeiramente no caminho de um bem-estar.



Créditos da foto: SXC/CreativeCommons